Passeio unido à oportunidade de fazer a diferença na realidade de comunidades carentes: isso é Volunturismo, modalidade de Turismo em crescimento por todo o mundo. E o País já tem uma grande operadora especializada neste segmento, oferecendo programas, principalmente, para destinos de Natureza.

 

Vivalá: Turismo somado a ações voluntárias

 

Viajar é das melhores coisas da vida: deixar o cotidiano para conhecer outros lugares, envolver-se com culturas e pessoas diferentes, vivenciar experiências fora do comum, degustar sabores de culinárias singulares…  Curtir o novo, mesmo por pouco tempo.

Agora, aproveitar tudo isso e ainda ter a oportunidade de fazer a diferença na realidade de comunidades mais carentes é bem melhor, certamente. E essa é uma modalidade de Turismo em grande crescimento no planeta: agregar aos passeios ações de voluntários.

Trata-se do Volunturismo, atividade econômica já movimentando, a cada ano, cerca de 10 milhões de viajantes e US$ 2 bilhões em todo o mundo. E, devido ao crescimento em progressão geométrica, com possibilidade de dobrar de tamanho durante o ano de 2020.

Muitos países já são referência na atração dessa modalidade de viajantes, em maioria no continente africano: África do Sul, Moçambique, Quênia e Tanzânia são bons exemplos. O Brasil, ainda engatinhando na atividade, já somou mais de 10 milhões de aficionados.

 

Muitos países já são referência em Volunturismo, em maioria no continente africano: África do Sul, Moçambique, Quênia e Tanzânia são bons exemplos. O Brasil já somou mais de 10 milhões de aficionados. E a Vivalá está contribuindo para esse crescimento

 

Vivalá: operadora especializada em Volunturismo

 

Como é comum nas economias sem dirigismo — cada vez mais preponderante por aqui, apesar da mentalidade estatista, interventora, ainda permear segmentos da sociedade —, havendo demanda, aparece oferta, cresce o número de empresas especializadas no setor.

Todas oferecem, basicamente, um mesmo pacote: programas para se aproveitar finais de semana ou períodos de férias em destinos nos quais exuberância de atrativos contrapõe-se a carências diversas da sua população, seja em áreas isoladas ou em grandes cidades.

É comum, por exemplo, alguém da Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, abandonar o conforto de casa e se embrenhar no sertão nordestino, para oferecer atendimento oftalmológico para crianças, como fez a doutora Liliane Nóbrega Cordeiro.

Porém, nada impede do morador da Cidade de Belém, a capital do Estado do Pará, se deslocar até à Cidade do Rio de Janeiro, a capital do Estado do Rio de Janeiro, para oferecer seus serviços aos habitantes de uma favela do Complexo do Alemão, correto?

 

A Vivalá oferece, basicamente, programas para se aproveitar finais de semana ou períodos de férias em destinos nos quais exuberância de atrativos contrapõe-se a carências diversas da sua população, seja em áreas isoladas ou em grandes cidades

 

Vivalá: programas de Volunturismo organizado

 

Em paralelo a conhecer pontos turísticos existentes em uma ou outra localidade, dedica parte do tempo a contribuir na melhoria de realidades onde faltam coisas bem básicas, tão comum em áreas carentes da nossa imensa Nação — ou, quem sabe, até fora dela.

Os programas de Volunturismo são bem variados. Abrangem ações ambientais, ajudar na melhoria de infraestrutura de saneamento, atenção a idosos, auxiliar no cuidado de crianças portadoras de doenças terminais, promoção da cidadania e direitos humanos…

Uns são mais populares, como ajudar na construção de cisternas, aprimorar técnicas de agricultura, integrar grupos de construção de moradias, orientar quanto ao valor dos hábitos de higiene, proteger espécies ameaçadas de extinção… São diversas as opções.

Mas todos têm o diferencial do Turismo embutido. Há outros com foco apenas nas ações voluntárias. Esses, geralmente, são desenvolvidos por Organizações Sociais da Sociedade Civil — Oscip, entidades do Terceiro Setor, empreendedores sociais etc.

 

Em paralelo a conhecer pontos turísticos existentes nas localidades, o volunturista da Vivalá dedica parte do seu tempo de lazer para contribuir na melhoria de realidades onde faltam coisas bem básicas, tão comum em áreas carentes da nossa imensa Nação

 

Vivalá: Volunturismo em cinco destinos de natureza

 

Uma das maiores operadoras de Volunturismo hoje, em atuação no Brasil, é a Vivalá. Ela está focada em melhorar condições de vida dos habitantes de cinco destinos de natureza, todos com paisagens deslumbrantes e populações em situações degradantes.

Três deles estão distribuídos pelo Estado do Amazonas, às margens de importantes rios daquela região: Negro, Solimões e Tapajós. Outro, no Estado do Maranhão: trata-se do Vilarejo de Atins, perdido na imensidão do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

O último é a Vila de São Jorge, dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Estado de Goiás. Entretanto, a intenção dos gestores da Vivalá é ampliar essa atuação, incluindo novas comunidades daquela imensa região, mas todas semelhantes às atuais.

 

Uma das maiores operadoras de Volunturismo hoje, em atuação no Brasil, a Vivalá tem seu foco voltado para melhorar as condições de vida dos habitantes de cinco destinos de natureza — todos com paisagens deslumbrantes e populações em situações degradantes

 

Vivalá: Volunturismo dedicado ao empreendedorismo

 

Os programas das viagens, além dos passeios, têm, por objetivo, usar o melhor de cada participante para, em parceria com moradores, criar soluções compartilhadas capazes de gerar desenvolvimento econômico e melhorar a qualidade de vida da população local.

Isso é buscado a partir de mutirões voltados à geração, ampliação e aprimoramento do empreendedorismo. Como não se alcançam esses objetivos de imediato, as expedições se repetem periodicamente — e soma novos esforços àqueles realizados anteriormente.

Os fundadores da Vivalá, Daniel Cabrera e Pedro Gayotto, enxergam grande potencial para o volunturismo no Brasil. Ou seja: a pujante realidade do segmento no mercado internacional está se refletindo na população brasileira, principalmente entre os jovens.

— Cada vez mais, pessoas buscam viagens com propósito, nas quais juntam conhecer destinos incríveis a uma conexão verdadeira com os locais, buscando enriquecimento pessoal por meio do voluntariado — revela, com bastante animação, Daniel Cabrera.

— Nossos resultados mostram existir demanda crescente para esse tipo de experiência no País. De 2017 para 2018, por exemplo, tivemos crescimento de 70% em inscrições para nossos roteiros de volunturismo — revela, com bastante otimismo, Pedro Gayotto.

 

Os fundadores da Vivalá, Daniel Cabrera e Pedro Gayotto, enxergam grande potencial para o volunturismo no Brasil. Ou seja: a pujante realidade do segmento no mercado internacional está se refletindo na população brasileira, principalmente entre os jovens

 

Vivalá: treinamento para sucesso do Volunturismo

 

A participação em qualquer programa de Volunturismo da Vivalá começa antes de se sair de casa. Primeiro, o interessado precisa informar sobre sua experiência de vida, suas capacitações, para os organizadores definirem a melhor forma de se usar aquela ajuda.

Com tudo confirmado, o volunturista recebe material de treinamento, impressos e em vídeos, de modo a se preparar para a viagem. Ele atuará segundo a curiosa definição de mestre-aprendiz: vai contribuir com os locais, e ter a humildade de aprender com eles.

Atuando como mentores, dialogando diretamente com os possíveis beneficiários, vão procurar, primeiro, entendê-los tanto como pessoas quanto como profissionais. Depois, a partir dos próprios conhecimentos, procurar ajudá-los da forma mais simples possível.

Como essa obrigação ocupa apenas um dia, pode parecer pouco à primeira vista. Não é verdade! Mesmo coisas bem simples geram grandes impactos em ambientes carentes de dois aspectos fundamentais: educação formal e circulação de informação de qualidade.

 

A participação em qualquer programa de Volunturismo da Vivalá começa antes de se sair de casa. Primeiro, o interessado precisa informar sobre sua experiência de vida, suas capacitações, para os organizadores definirem a melhor forma de se usar aquela ajuda

 

Vivalá: Volunturismo não exige experiência prévia

 

Os executivos da Vivalá, Daniel Cabrera e Pedro Gayotto, destacam o volunturista não precisar de experiência na mentoria de negócios para estar nas expedições, conhecendo destinos paradisíacos engajados em trabalho transformador e não apenas assistencialista

Alguns números exprimem o sucesso desse trabalho, intitulado Universidade Vivalá: nos seus dois anos de atuação, 500 volunturistas auxiliaram 180 microempreendedores, gerando impacto econômico superior a R$ 500 mil na contratação de serviços nas regiões.

A Vivalá também tem projetos personalizados, criados a quatros mãos com empresas, entidades e outras organizações, inclusive do exterior, como a Universidade de Chicago, uma das mais laureadas instituições de ensino superior dos Estados Unidos da América.

Outras se duas parcerias de destaque já acertadas incluem Engenheiros Sem Fronteiras, Entrepreneurs Organization, Exchange do Bem, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade — ICMBio e Trip Voluntária. Novas, certamente, virão muito breve.

 

Alguns números exprimem o sucesso desse trabalho, intitulado Universidade Vivalá: nos seus dois anos de atuação, 500 volunturistas auxiliaram 180 microempreendedores, gerando impacto econômico superior a R$ 500 mil na contração de serviços nas regiões

 


 

O post “Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil” foi produzido por João Zuccaratto, jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, a partir de sua participação na Abav Expo Internacional de Turismo 2019, desenvolvida no Expo Center Norte, um dos mais modernos centros de convenções da Cidade de São Paulo, a capital do Estado de São Paulo, entre os dias 25, 26 e 27 de outubro, atraindo em torno de 30 mil profissionais de setor.

Clique nos trechos em colorido ao longo do post “Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a conteúdos do próprio Turismoria, verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

O post “Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil” pode apresentar erros. Se forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar para ser substituída.

No post “Vivalá oferece Turismo aliado a participação voluntária em locais paradisíacos do Brasil”, a repetição de algumas expressões, como “Vivalá” e “Volunturismo”, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.