Conclusão é do economista, empreendedor privado e professor universitário Orlando Caliman. Ele a apresentou junto a outros pontos em sua palestra na segunda edição do workshop Desafios Para Tornar Estado do Espírito Santo Destino Turístico Competitivo, dia 15 de agosto de 2017.

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

Orlando Caliman apoiou a palestra em painéis construídos com percepção de economista brilhante, detalhados com maestria de comentarista apurado e apresentados com didática de docente gabaritado retrataram as grandes evoluções do País e do Estado do Espírito Santo durante o último meio século

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

Plateia de empreendedores do segmento, gestores públicos envolvidos com a atividade e lideranças representativas do setor visualizou acurado quadro da economia brasileira, no geral, e da capixaba, no particular, pincelado com dados, índices e números irrefutáveis

 

Como identificar quais desafios o Estado do Espírito Santo precisa vencer para tornar-se, realmente, um destino de turismo de destaque em todo o Brasil, e até mesmo fora dele? E, conhecendo-os, quais as atitudes a tomar para superá-los e mais breve possível?

Um profissional experiente tanto no setor público quanto na iniciativa privada, Orlando Caliman, aceitou encarar o problema. E, após apresentar amplo diagnóstico sobre a história e economia recentes do País e da terra capixaba, resumiu seus pontos de vista.

  • Precisamos ser descobertos até por nós mesmos;
  • Nosso histórico é amador, concentrado em veranismo;
  • Há espaço para explorar nichos como eventos, negócios etc.
  • Usar eventos e negócios para atrair lazer mais qualificado; e,
  • Usar a estrutura produtiva existente para gerar oportunidades.

Em sua opinião, há tendências vigentes pelo mundo com forte potencial para influenciar positivamente o turismo em todo o planeta e, particularmente, em nossa Nação. Assim, basta trabalharmos focados em aproveitar resultados advindos de situações tais como:

  • Aumento da expectativa de vida: Melhor Idade;
  • Ampliação do tempo dedicado ao ócio criativo;
  • Áreas enfrentando conflitos étnicos, raciais, religiosos etc.;
  • Espaços criados pelo desenvolvimento científico; e,
  • Soluções geradas pelos avanços em tecnologia.

Orlando Caliman propôs estas conclusões ao final de sua palestra na segunda edição do workshop Desafios Para Tornar o Estado do Espírito Santo Destino Turístico Competitivo, dia 15 de agosto de 2017, numa iniciativa desenvolvida pelo Espírito Santo Convention & Visitors Bureau.

Plateia de empreendedores do segmento, gestores públicos envolvidos com a atividade e lideranças representativas do setor visualizou acurado quadro da economia brasileira, no geral, e da capixaba, no particular, pincelado com dados, índices e números irrefutáveis.

Painéis construídos com percepção de economista brilhante, detalhados com maestria de comentarista apurado e apresentados com didática de docente gabaritado retrataram as grandes evoluções do País e do Estado do Espírito Santo durante o último meio século.

A seguir, as conclusões sobre a atualidade da economia do Estado do Espírito Santo deste ex-secretário de Planejamento, professor do Curso de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo e empreendedor através do seu Instituto Futura de Pesquisas.

  • Forte viés exportador, com o coeficiente de abertura em relação ao comércio exterior variando entre 40% a 50% do Produto Interno Bruto — PIB do Estado.
  • Pauta de exportação concentrada em poucas commodities: aço, café, celulose, minério de ferro e rochas ornamentais respondem por mais de 90% das operações.
  • Grande dependência em relação ao mercado internacional de commodities, afetado pela crise mundial de 2008, gerou queda de 13% do PIB capixaba no ano de 2009.
  • Efeitos da recessão brasileira ampliados pela crise hídrica em território capixaba e paralisação da Samarco, responsável sozinha por 6% do PIB capixaba.
  • Destaque nacional do ponto de vista fiscal, com suas contas em dia e apresentando baixo endividamento frente a outras unidades da Federação até mais importantes.
  • Governo mantendo nível razoável de investimento até razoável tendo em vista as circunstâncias geradas pelo forte impacto da crise nacional nas receitas.
  • Apresentando-se com Estado financeiramente organizado, poderá sair na frente no momento em que a economia iniciar o processo de recuperação.
  • Estimativas preliminares apontam taxa de variação positiva de 2% do PIB para 2017, inclusive superando a média prevista para o País.
  • Otimismo em relação a investimentos considerados estruturantes: aeroporto, obras na BR-101 e BR-262 e outros em curso por conta do Governo estadual.

 

Alguns dos painéis apresentados pelo economia Orlando Caliman:

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo

 

Turismo: Estado do Espírito Santo precisa ser descoberto, inclusive por si mesmo