Área equivalente a 110 mil campos de futebol foi transformada em herança ambiental para gerações futuras. Em pouco mais de duas décadas sob proteção, natureza ocupa espaços degradados com espécies de vegetação nativa. Comunidades do entorno são beneficiadas.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

 

RPPN Sesc Pantanal: presente para a humanidade

 

Uma Reserva Particular do Patrimônio Natural — RPPN é um território de posse privada mas destino à conservação da diversidade biológica e à proteção do meio ambiente de modo perpétuo. Ou seja: seu proprietário, ou seus proprietários, não pode mais reverter essa condição, com o objetivo de extrair possíveis riquezas que venham a ser descobertas no seu interior posteriormente, aproveitar áreas para empreendimentos imobiliários e coisas assim.

Quando se toma a decisão de transformar uma área em RPPN, ela é um compromisso com o futuro da humanidade, e não se pode voltar atrás. Foi ciente dessas condicionantes que a direção do Serviço Social do Comércio — Sesc transformou domínios significativos de terras junto ao Pantanal Brasileiro no Estado do Mato Grosso em um valiosíssima herança ambiental para as futuras gerações, tanto aqui dentro do Brasil quanto por todo o planeta.

A RPPN Sesc Pantanal é, atualmente, a maior do País, somando cerca de 110 mil hectares de área, o equivalente a mais ou menos 110 mil campos de futebol. Ou seja: desde 1994, há mais de 20 anos, 1% da extensão total do Pantanal existente no Estado do Mato Grosso está praticamente intocada pelo homem, a não ser em questões de gestão dos acervos biológicos ali existentes e manejos voltados à prevenção de catástrofes como incêndios e inundações.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

A Reserva Particular do Patrimônio Natural — RPPN Sesc Pantanal é a maior do País, somando cerca de 110 mil hectares de área, o equivalente a mais ou menos 110 mil campos de futebol. Ela corresponde a 1% da extensão total do Pantanal no Estado do Mato Grosso

 

RPPN Sesc Pantanal: 95% de área virgem

 

O perímetro total da Reserva soma quase 300 quilômetros de extensão. Além de, ainda, ter fronteiras com muitas fazendas produtivas, ao Norte, limita-se com o Distrito de São Pedro de Joselândia e seus 2.000 habitantes dispersos em pequenas comunidades rurais; ao Sul, com a Reserva Indígena Pirigara; a Leste, trecho de 30 quilômetros de margem do Rio São Lourenço; e, a Noroeste, trecho de 80 quilômetros da margem esquerda do Rio Cuiabá.

Situada dentro do Município de Barão de Melgaço, localizado ao Sul da Cidade Verdade de Cuiabá, a capital do Estado, a maior parte da RPPN Sesc Pantanal está caracterizada como Zona Primitiva, de pequena ou quase nenhuma intervenção humana. As áreas alteradas pelo homem são poucas, cerca de 5% total. São pastagens das antigas fazendas, agora deixadas ao sabor da sucessão ecológica, vigorosa no Pantanal, e constituem a Zona de Recuperação.

Em pouco mais de duas décadas, aquele solo fértil, inundável em grande parte da extensão na época das chuvas, vem sendo ocupado por vegetação nativa, fazendo ressurgir espécies vegetais exuberantes, atraindo uma fauna bela e diversa. Para reduzir ao máximo a presença humana dentro da Reserva, um Plano de Gestão e Manejo definiu Zonas de Uso Especial, com a determinação de pequenas áreas destinadas à administração, manutenção e serviços.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

Cerca de 95% da área da RPPN Sesc Pantanal é de terras virgens, nunca exploradas pelo homem. Os 5% restantes eram pastagens das antigas fazendas, anexadas ao projeto e agora deixadas ao sabor da recuperação natural, bastante vigorosa e rápida em todo o Pantanal

 

RPPN Sesc Pantanal: preocupação com incêndios

 

Deles, fazem parte sete Postos de Proteção Ambiental, sendo que cinco ocupam as sedes das antigas fazendas incorporadas à RPPN Sesc Pantanal, e cujas denominações acabaram mantidas: Espírito Santo, Santo André, São Joaquim, São Luiz e Santa Maria. Todos têm alojamentos e torres de observação com 36 metros de altura. E dispõem também de meios de transporte para os deslocamentos internos: caminhões, cavalos, quadriciclos e tratores.

Devido à sua ampla extensão territorial, o monitoramento na Reserva é setorizado, e suas principais referências são os Postos de Proteção Ambiental. Na época da seca no Pantanal, uma das principais ameaças à biodiversidade e às populações são os incêndios. Como ainda muitas propriedades rurais no entorno utilizam fogo para limpeza inicial das áreas a serem preparadas para plantio de roças, se não houver manejo, o risco de descontrole é bem alto.

Para evitar esta situação, ao início da seca conversa-se com os proprietários dos terrenos, orientando-os quanto à queima controlada e faz-se aceiros com até 12 metros de largura ao longo das divisas terrestres. Se, mesmo assim, houver ocorrências, entra em ação a Brigada de Incêndios. Esta, além de combater focos, monitora as queimas até seu término. E nas cheias, há também ações específicas, como transportar pessoas e materiais em carro de boi.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

Uma das maiores ameaças à riqueza da biodiversidade existente na RPPN Sesc Pantanal são incêndios, muito frequentes no período da seca. Muitos são originários da prática da queima realizada por fazendeiros para limpar terrenos a serem utilizados em agricultura

 

RPPN Sesc Pantanal: ICMS Ecológico

 

Se a RPPN Sesc Pantanal nasceu com objetivos de preservar biodiversidade, ecossistemas e espécies ameaçadas de extinção, endêmicas ou raras; facultar a interpretação ambiental; propiciar educação ambiental e pesquisas científicas; e dar proteção a recursos hídricos, os impactos positivos ampliaram seu alcance. E delinearam novas bases para a economia da região, possibilitando progressos econômico e social das comunidades de todo o Município.

Além do fortalecimento da temática ambientalista, com ações educativas, sociais e de lazer, há incentivos aos sistemas de negócios e de produção sustentáveis. E, bastante importante: sua existência contribui para o Município de Barão de Melgaço ter repasse maior quando da distribuição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços — ICMS, tendo como base para o cálculo a extensão das áreas protegidas em seu território. É o ICMS Ecológico.

Outra contribuição da RPPN Sesc Pantanal está relacionada com os trabalhos científicos ali desenvolvidos. Especialistas de instituições nacionais e internacionais de ensino e pesquisa já ultrapassaram uma centena artigos, monografias, dissertações, teses e livros produzidos a partir de estudos realizados dentro dos seus limites geográficos, relacionados a fauna, flora, clima, educação ambiental, organização social, recursos hídricos, solo, turismo e bem mais.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

A presença da RPPN Sesc Pantanal no Município de Barão de Melgaço vem transformando a vida das populações do seu entorno, cada dia mais envolvidas com a proteção ambiental. E, além disso, a cidade passou a receber uma parcela maior de recursos vindos de impostos

 

RPPN Sesc Pantanal: reconhecimento internacional

 

A par desse elenco de vitórias, a luta é constante contra fatores de depredação ocorrendo a todo momento, indo do simples acampamento de estudantes à caça ilegal e passando pela construção de pistas clandestinas para pouso e descolagem de pequenos aviões, garimpos sem qualquer tipo de licenciamento ambiental, pesca predatória, pontos para desova de cadáveres, presença de gado, roubo de madeira e rotas para contrabando e tráfico de drogas.

 

Uma das formas de enfrentamento desse rol inesgotável de problemas pelos gestores da RPPN Sesc Pantanal vem da enorme visibilidade mundial alcançada com reconhecimentos tais como Zona-Núcleo da Reserva da Biosfera do Pantanal, promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura — Unesco, no ano 2000, e Sítio de Zona Húmida de Importância Internacional, da Convenção de Ramsar, este em 2003.

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

O reconhecimento do valor da RPPN Sesc Pantanal por organismos voltados à preservação do meio ambiente em todo o mundo amplia a visibilidade e a importância da sua existência, contribuindo para a redução das ameaças de depredação da sua riqueza de biodiversidade

 

RPPN Sesc Pantanal: riqueza em biodiversidade

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

 

Reserva Natural do Sesc no Estado do Mato Grosso equivale a 1% da área do Pantanal

 


 

Nos textos de divulgação de turismo, ao citar uma cidade, faço isso em conjunto com seu apelido. Se ela tem, e eu o conheço, uso-o. Por isso Cidade Verde de Cuiabá, por exemplo.

Clique sobre os trechos em colorido ao longo do texto para abrir novas guias, trazendo informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando para verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

A repetição de termos, como RPPN Sesca Pantanal, é intencional. São palavras-chave. Colocá-las diversas vezes ao longo da postagem é parte das modernas técnicas de Search Engine Optimization — SEO, a otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se faz pesquisas utilizando Bing, Google, Yahoo etc.

 Texto produzido a partir de conhecimentos gerais do autor e pesquisas na Internet: site do Hotel Sesc Porto Cercado, Wikipedia, site do Governo do Estado do Mato Grosso, site do Município de Poconé etc. Como fundamenta matéria com fins de divulgação do turismo, e não trabalho científico, pode apresentar erros. Se forem apontados, farei as correções.

Matéria desenvolvida a partir dos seguintes investimentos do Governo do Estado do Mato Grosso:

• Participação no fampress de jornalistas brasileiros e estrangeiros, dias 16 a 19 de abril de 2016, pelos seguintes destinos do Estado do Mato Grosso: Município de Cáceres, Município de Chapada dos Guimarães, Município de Campo Novo dos Parecis, Município de Cuiabá,Município de Jaciara e Município de Nobres; e,

• Acompanhamento da Feira Internacional de Turismo do Pantanal — FIT Pantanal 2016, dias 20 a 24 de abril, no Centro de Eventos do Pantanal, na cidade de Cuiabá, capital do Estado.