Apesar de originária do Sul da América do Norte, a Pitaia adaptou-se bem ao clima e solo do Brasil. Fruta soma qualidades inigualáveis: poucas calorias, ausência de açúcares, riqueza de Ômega 3 e Ômega 6, presença de fibras etc. Contribui para a redução do LDL, o colesterol ruim.

 

Pitaia mostra ótima produtividade no Brasil

 

A mais recente fruta em moda tanto pelo mundo quanto no Brasil é a Pitaia. Originária do Norte da América Central e Sul do México, passou a ser cultivada em diversos pontos do planeta. Mas tem apresentado melhor produtividade pelas terras brasileiras e nos territórios da China e Israel.

Oriunda de idioma de antigos povos habitando um espaço indo desde a Península do Yucatan, no Mar do Caribe, à costa do Oceano Pacífico e até o atual Canal do Panamá, a denominação tem o significado de “Fruta Escamosa” no Português — isso, devido à sua estranha aparência externa.

As diversas populações ali vivendo desde tempos imemoriais desenvolveram hábitos alimentares à base das riquezas disponíveis na Natureza. Um deles, consumir Pitaia, costume ainda presente entre seus descendentes e, agora, difundido como opção entre aqueles buscando vida saudável.

 

Oriunda de idioma de antigos povos habitando um espaço indo desde a Península do Yucatan, no Mar do Caribe, à costa do Oceano Pacífico e até o atual Canal do Panamá, a denominação tem o significado de “Fruta Escamosa” no Português — isso, devido à sua estranha aparência externa

 

Pitaia gera muitos benefícios para o corpo humano

 

São séculos de conhecimento práticos sobre o fruto, considerado um alimento capaz de gerar benefícios para todo o corpo humano mesmo desconhecendo detalhes da sua constituição: características antioxidantes, riqueza de minerais como ferro e zinco e fonte de vitaminas A e C.

Outra excelente qualidade: apesar do sabor doce, tem reduzidíssima presença de açúcares. Soma-se a isso a quase ausência de gorduras, poucas calorias e presença de fibras. Estas contribuem na redução do LDL, o colesterol ruim, e inibem fome, mantendo uma longa sensação de saciedade.

Além de extremamente saborosa, é aliada na conquista de um corpo perfeito, contribuindo para o emagrecimento do abdômen, deixando a cintura fininha por ajudar a eliminar as gordurinhas das laterais da barriga. Também é termogênica, possuindo substâncias capazes de eliminar a glicose.

 

A Pitaia, além de saborosa, é aliada na conquista de um corpo perfeito, contribuindo para o emagrecimento do abdômen, deixando a cintura fininha por ajudar a eliminar as gordurinhas das laterais da barriga. Também é termogênica, possuindo substâncias capazes de eliminar glicose

 

Pitaia exibe riqueza em Ômega 3 e Ômega 6

 

A fruta carrega apenas 50 calorias em um pedaço de 100 gramas. E suas sementes também têm muito poder contra diversas doenças. Bem ricas em Ômega 3 e Ômega 6, além de ótimas para o coração, previnem câncer de cólon, diabetes e infecções, reduzindo o nível de glicose no sangue.

Para manter suas qualidades, é preciso ser cultivada dentro das melhores práticas da agricultura orgânica, sem a utilização de qualquer tipo de agrotóxicos, defensivos ou produtos químicos. A irrigação por sistema de gotejamento controlado mantém o sabor e a qualidade final do fruto.

Suas flores podem ser mastigadas diretamente ou ingeridas como chá. A casca, em infusões. O miolo, degustado in natura, como geleia, em salada de frutas, misturado a iogurte e em polpa para se fazer picolé, sorvete ou suco. E ele também serve para se produzir um excelente fermentado.

 

Para manter as qualidades, a Pitaia precisa ser cultivada com as melhores práticas da agricultura orgânica, sem a utilização de qualquer tipo de agrotóxicos, defensivos ou produtos químicos. A irrigação por sistema de gotejamento controlado mantém o sabor e a qualidade final do fruto

 

Pitaia também é conhecida como Fruta do Dragão

 

A Pitaia também é denominada Fruta do Dragão nos países de Língua Inglesa — Dragon Fruit — e em algumas nações da Ásia. Outra característica interessante está em florescer durante a noite. Em virtude dessa particularidade, suas grandes flores brancas são conhecidas por Flores da Noite.

Um dos motivos da Pitaia se dar bem no País é poder ser cultivada em terrenos entre 30 a 700 metros de altitude acima do nível do mar, temperaturas de 14 a 32 graus Célsius e chuvas de 500 a 3.600 milímetros por metro quadrado por ano — mas se adapta também a climas mais secos.

Apesar de existirem 39 espécies de Pitaias, as três variedades mais comercializadas entre nós são a Pitaia-Branca, com casca rosa e miolo branco; Pitaia-Amarela, casca amarela, miolo branco; e, Pitaia-Vermelha, casca vermelha, miolo vermelho. Os frutos pesam entre 50 gramas e um quilo,

 

Um dos motivos da Pitaia se dar bem no Brasil é poder ser cultivada em terrenos entre 30 a 700 metros de altitude acima do nível do mar, temperaturas de 14 a 32 graus Célsius e chuvas de 500 a 3.600 milímetros por metro quadrado por ano — mas se adapta também a climas mais secos

 

Pitaia se destaca em terras do Estado do Rio Grande do Sul

 

As culturas têm maior presença no Estado da Bahia, Estado de Minas Gerais, Estado do Paraná e Estado de São Paulo. Entretanto, um sítio situado na Zona Rural do Município de Terra de Areia, a Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, tem alcançado grande sucesso na produção da Pitaia.

Trata-se da Pitayas Capri, estabelecida na Estrada dos Gringos 435. O empreendimento reúne o espaço do plantio em sistema orgânico, área de beneficiamento e lojinha para a comercialização da fruta e alguns produtos derivados, como sucos e doces, além de lembranças personalizadas.

Além de distribuir a produção para estabelecimentos como hortifrutis e supermercados da região nas proximidades do Município de Terra de Areia, a Pitayas Capri tornou-se, também, ponto de visitação para turistas, oferecendo experiências e imersões em todo o processo daquele cultivo.

 

Além de distribuir a produção para estabelecimentos como hortifrútis e supermercados da região nas proximidades do Município de Terra de Areia, a Pitayas Capri tornou-se, também, ponto de visitação para turistas, oferecendo experiências e imersões em todo o processo daquele cultivo

 

Pitayas Capri integra roteiro no Município de Terra de Areia

 

Para tanto, integrou-se ao primeiro roteiro organizado com o objetivo de dinamizar a atração de visitantes. Identificado como Caminho dos Vales e das Águas, dá prioridade ao envolvimento do visitante com a diversidade das riquezas naturais e de atrativos bem especiais daquele Município.

Ele foi criado com a intenção é dinamizar o aproveitamento de potenciais já existentes — no Agroturismo, Eecoturismo, Tturismo de Aventura, Tturismo de Eventos, Turismo de Lazer e Turismo Náutico, por exemplo —, com a incorporação de micro e pequenos empreendedores à atividade.

O trabalho de criação, formatação e treinamento dos primeiros integrantes contou com o apoio do Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio Grande do Sul — Sebrae-RS. As ações para atração de novos participantes não pararam, com objetivo de enriquecer o circuito.

 

O trabalho de criação, formatação e treinamento dos integrantes do roteiro deste primeiro roteiro de Turismo do Município de Terra de Areia, o Caminho dos Vales e das Água teve o apoio do Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio Grande do Sul — Sebrae-RS

 

Roteiro tem apoio de universidade e cooperativa

 

O projeto tem apoio do polo da Universidade La Salle no Município de Terra de Areia, com a oferta de graduação e pós-graduação em Turismo. A escola também abre suas instalações para abrigar realizações como apresentações, encontros, eventos, lançamentos, reuniões, workshops…

Outra apoiadora é a Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas — Coomafitt. Esta entidade oferece programas, com participação da Juventude Rural, a interessados em conhecer e participar de vivências dentro de lavouras da grade de associados.

 

O roteiro Caminho dos Vales e das Água tem apoio do polo da Universidade La Salle no Município de Terra de Areia, com a oferta de graduação e pós-graduação em Turismo. A escola também abre suas instalações para abrigar realizações como apresentações, encontros, eventos…

 

Pitayas Capri: mais imagens deste fruto especial

 

 

 

 

 

 


 

O post “Pitayas Capri coloca cultivo da Pitaia dentro do Turismo do Estado do Rio Grande do Sul” foi produzido por João Zuccaratto, jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, com apoio da Rede Ficare de Hotéis, através da sua unidade Guarita Park Hotel, situada na Cidade de Torres, localizada no litoral Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Clique nos trechos em colorido ao longo do post “Pitayas Capri coloca cultivo da Pitaia dentro do Turismo do Estado do Rio Grande do Sul” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

No post “Pitayas Capri coloca cultivo da Pitaia dentro do Turismo do Estado do Rio Grande do Sul”, a repetição de algumas expressões, como “Pitaia” e “Pitayas Capri”, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.

O post “Pitayas Capri coloca cultivo da Pitaia dentro do Turismo do Estado do Rio Grande do Sul” pode apresentar erros. Se forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “Pitayas Capri coloca cultivo da Pitaia dentro do Turismo do Estado do Rio Grande do Sul” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar para ser substituída.