Ideia inicial surge nos primeiros anos da década de 1960. Empreendimento torna-se realidade no final dos anos 1990. Qualidade, segurança, tecnologia são destaque nas quase duas décadas de operação. Complexo atende meio milhão de visitantes por ano.

 

Parque Unipraias é o maior complexo de turismo da Cidade de Balneário Camboriú

 

Parque Unipraias: um sonho de meio século

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Vista do então Pontal Sul da atual Praia Central da Cidade de Balneário Camboriú, em 1952. Abaixo, na foto, a foz do Rio Camboriú, local onde hoje está situada a Estação Barra Sul do Circuito de Bondes Aéreos do Parque Unipraias. À direita, parte do Morro da Aguada, em cujo topo foi construída a Estação Mata Atlântica e seu conjunto de atrações oferecidas ao meio milhão de turistas que visitam este complexo a cada ano

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Não se sabe se o pouso de emergência do avião do empresário Normando Tedesco na areia da atual Praia Central da Cidade de Balneário Camboriú é que criou a moda. Mas durante as décadas de 1950 e 1960, era comum ver aeronaves estacionadas junto a casas de hotéis, principalmente. Há diversas fotos como essa, de pequeno aeroplano à frente do Balneário Hotel. O pessoal vinha do interior passar finais de semana na beira do mar

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Como não havia rede de distribuição de água tratada, quem não tinha poço artesiano comprava água potável, geralmente captada em fontes como as do Morro da Aguada. Os tonéis, depois de cheios, eram transportados em carroças puxadas por bois ou burros, como esta da imagem. Elas iam e vinham tranquilamente sobre a areia da praia, com seu piso sempre bastante duro, solado, liso, assim trabalhado pela ação das marés e ondas

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Se no Pontal Sul — agora Barra Sul — quase não havia ocupação no final da década de 1950, o mesmo não ocorria no lado Norte e pelo meio da agora Praia Central. Na foto, as avenidas e ruas situadas em frente à Ilha das Cabras já exibiam um bom número de casas, geralmente construídas de madeira e utilizadas pelas famílias durantes os finais de semana, férias escolares de julho e principalmente no verão, em janeiro e fevereiro

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Nesta imagem de 1958, visão do então Pontal Norte da atual Praia Central da Cidade de Balneário Camboriú. O local era procurado pelas famílias do interior do Estado para aproveitar as delícias do mar nos finais de semana com dias de Sol, durante as férias escolares no mês de julho e, principalmente, no período mais quente do ano, dezembro, janeiro e fevereiro. Isso é que deu origem ao boom imobiliário que transformou a região

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Uma visão geral da atual Praia Central, a partir do então Pontal Sul, com pequenos barcos entrando pelo Rio Camboriú, no início da década de 1960. A foto original, em preto e branco, foi colorizada através de um processo digital. A imagem mostra como o terreno era praticamente desabitado naquele momento, antes do boom imobiliário que transformou a Cidade de Balneário Camboriú no polo dos edifícios mais altos do Brasil

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Uma mãe e seus dois filhos pequenos aproveitando as delícias do banho de mar em trecho da atual Praia Central próximo ao então Pontal Sul — atualmente, Barra Sul. A foto original, em preto e branco, foi colorizada através de um processo digital. Junto à orla, as poucas casas de veraneio mostram a baixa ocupação imobiliária do local no início dos anos 1960. Esta situação muda por completo a partir da década de 1970

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Vista aérea da orla de um trecho central da atual Praia Central da Cidade de Balneário Camboriú já quase no final da década de 1960. Já sofrendo os primeiros efeitos do boom imobiliário gerado pela atração do mar e das praias aos moradores do interior do Estado de Santa e Bela Catarina, os terrenos do loteamento ali desenvolvida já estavam tomados por residências de veraneio e alguns poucos prédios de dois a três pavimentos

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Imagem do início da década de 1970, mostrando o resultado da primeira pavimentação da Avenida Atlântica no trecho em que a Praia Central faz uma pequena curva. A área para estacionamento de veículos ocupada por carros de uma ponta a outra e a faixa de areia tomada por banhistas e barracas. São os primeiros momentos da transformação da Cidade de Balneário Camboriú num dos maiores polos de turismo de todo o Brasil

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Esta imagem dos anos 1970 mostra o final das obras de construção do Hotel Fischer, o primeiro meio de hospedagem erguido nas proximidades da Barra Sul da Praia Central da Cidade de Balneário Camboriú. Ampliado no final dos anos 1980 e colocado abaixo não faz muito, para dar lugar a estas torres disputando ser a mais alta do País, América Latina, quiçá do mundo. Aliás, há um vídeo bem interessante sobre esta demolição aqui.

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Original em preto e branco, colorizada digitalmente. Está no livro “Fotografias Antigas de Balneário Camboriú”, organizado por Sérgio Antônio Ulber, com esta legenda: “Foi na década de 1970 que João Gaspar Scharf fez esta fotografia aérea da Barra Sul, nos primeiros tempos de seu desenvolvimento. Havia poucos prédios entre o rio e o mar. A estrada que levava até à Praia de Laranjeiras, atual Interpraias, era ainda de chão batido”

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Foto do início da década de 1980, em desfile de veículos antigos sobre a faixa de areia da Praia Central. A ocupação da orla por edifícios de muitos andares estava em seus primórdios mas dá para ver que a área da Barra Sul ainda não tinha sido atingida pelo boom imobiliário. É lá que, dentro de mais 20 anos, no final da década de 1990, será inaugurado o sistema de bondes aéreos do Complexo de Lazer do Parque Unipraias.

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Esboço do primeiro estudo sobre a instalação de teleférico unindo o nível do mar da Barra Sul aos 250 metros de altitude do topo do Morro da Aguada, encomendado pelo empresário Normando Tedesco. O projeto contemplava também a construção de vários prédios ao longo da linha da Avenida Atlântica e Praia Central, bem afastados uns dos outros, jardins e praças além de uma quadra com instalações somente voltadas ao lazer

 

Parque Unipraias nasceu de pouso forçado em praia de Balneário Camboriú

Vista atual da Estação Barra Sul, de onde partem os bondes aéreos em direção ao alto do Morro da Aguada, local da Estação Mata Atlântica, o local de parada antes de voltar a descer em direção à Estação Laranjeiras, junto à Praia de Laranjeiras. O sonho de meio século do empreendedor Normando Tedesco torna-se realidade no final dos anos 1990, estando próximo a completar três décadas de operação e sucesso incomparáveis

 

Parque Unipraias: habilidade para aterrissar

 

Pode-se dizer que o Complexo Turístico do Parque Unipraias nasceu da habilidade de um piloto de avião ao evitar uma catástrofe iminente. Sobrevoando os céus próximos ao litoral do Município de Camboriú, situado na costa Leste do Estado da Santa e Bela Catarina, o equipamento apresentou problemas. Como não havia tempo para alcançar algum aeroporto próximo, a solução foi um pouso de emergência, num local deserto.

Olhando para baixo, o comandante avistou uma longa faixa de praia e não pensou duas vezes. Com habilidade, mantendo a calma, aterrissou com segurança. Deu muita sorte: o piso era de areia bastante solada pela água do mar. Foi assim que um dos passageiros, e proprietário da aeronave, o empresário Normando Tedesco, conheceu uma região erma, mas de uma beleza tão grande que o impressionou arrebatadamente, de forma imediata.

Na época, década de 1950, o local era conhecido como Pontal Sul, limitado, de um lado, pelo oceano, e, do outro, pelo curso do Rio Camboriú. Sua foz separava a parte baixa do terreno de uma elevação conhecida como Morro da Aguada. Vivalma alguma vivia nas cercanias. No lado oposto, o Pontal Norte, um grande loteamento estava sendo ocupado por casas baixas, em sua maioria erguidas de madeira, usadas por famílias em veraneio.

 

Parque Unipraias: Pontal Sul e Morro da Aguada

 

Retornando à sua Cidade de Joinville, Município situado ali bem próximo, Normando Tedesco buscou informações sobre a propriedade daquela extensão de terras. Negociou com os donos e acabou comprando tanto o Pontal Sul quanto o Morro da Aguada. Este último, com o objetivo de garantir um ponto estratégico para o abastecimento com água potável para o possível empreendimento imobiliário a ser erguido por toda a parte plana.

Enquanto isso era decidido, construiu também uma casa, usada por ele e seus familiares para passar finais de semana e períodos de férias no então conhecido como Balneário da cidade de Camboriú. A energia elétrica era gerada por um motor movido a óleo diesel. Enquanto a década de 1950 era encerrada e iniciava a de 1960, Normando Tedesco dava tratos à bola para escolher o projeto mais adequado de ocupação do terreno e do morro.

Viajando com a família, em férias pelos Estados Unidos da América e países da Europa, Normando Tedesco ficou encantado com os sistemas de bondes aéreos funcionando nas áreas montanhosas de diversas nações. E passou a sonhar com alguma coisa semelhante ligando o Pontal Sul ao topo do Morro da Aguada. Tempo passando, boom imobiliário crescendo, e os espaços do Pontal Sul começaram a receber suas primeiras edificações.

 

Parque Unipraias: herdeiros de um sonho

 

Em 1964, a região desmembra-se do Município de Camboriú e surge o novo Município de Balneário Camboriú. No início da década de 1970, fica pronto um estudo para se instalar um teleférico, de cadeiras abertas. Ele nunca saiu do papel. Com o falecimento de Normando Tedesco, os negócios são herdados pelos filhos Júlio Tedesco e Marcos Tedesco. Aquela ideia do teleférico estava adormecida, mas não fora abandonada.

A faixa de areia desimpedida, improvisada como pista para o pouso de emergência do avião do empresário Normando Tedesco, foi batizada com o nome de Praia Central. O Pontal Sul, a ser identificado como Barra Sul. Corriam os anos 1980 e o Município de Balneário Camboriú tornava-se um dos maiores polos de turismo de lazer do Brasil. Virou moda entre brasileiros e também argentinos, chilenos, uruguaios e paraguaios.

O enorme movimento na alta temporada, meses de julho, dezembro, janeiro e fevereiro, gerava investimentos em hotéis e grandes edifícios de apartamentos. Como disse certa vez seu ex-prefeito Leonel Arcângelo Pavan, a cidade parecia uma grande ervateira, tal o volume de bate-estacas socando o solo ao mesmo tempo. Não havendo possibilidades de se crescer horizontalmente, a saída foi avançar para cima, tendo o céu como limite.

 

Parque Unipraias: união de esforços

 

No meio deste burburinho, Júlio Tedesco e Marcos Tedesco tomam conhecimento de outro grupo planejando instalar teleférico na Cidade de Joinville. Tratava-se da família Bogo, operadora do transporte coletivo urbano, atualmente operando sob a marca Grupo Fidúcia. Em meados de 1997, um dos seus integrantes, Moacir Bogo, viajou à Europa, em busca de soluções para implantar um sistema de bilhetagem eletrônica nos ônibus.

Visitando a cidade de Grenoble, na França, foi apresentado a um teleférico lá instalado e visitou a fábrica local desses equipamentos. Retornando ao País, dividiu com os sócios seu entusiasmo pelos bondes aéreos. Contagiados com a novidade, planejaram instalar o equipamento ligando o nível do mar ao topo do Morro da Boa Vista. O projeto foi sendo adiado devido a entraves de ordem legal em relação aos terrenos e por detalhes técnicos.

Enquanto assimilavam a decepção pelo adiamento do grande sonho, outro sócio do Grupo Fidúcia, Carlinhos Bogo, descobre que o Grupo Tedesco já tinha um projeto semelhante, pronto, para a Cidade de Balneário Camboriú. Estavam apenas à espera de parceiros para dividir os investimentos. Uma quase interminável série de quase 40 reuniões concluiu a formalização da empresa para materializar a ideia: a Bontur S.A.

 

Parque Unipraias: equipamentos melhores do mundo

 

Isso aconteceu no final daquele mesmo ano de 1997 e deram partidas às obras no início de 1998. Não seria mais um teleférico, e sim um caminho de bondes aéreos. Não ficaria restrito a apenas subir e descer a montanha, prolongando-se a mais uma terceira estação. Saindo da Barra Sul, cruzaria pelo cimo do Morro da Aguada e desceria em direção à Praia de Laranjeiras. Investimento previsto para esta primeira etapa: R$ 18 milhões.

Equipamentos, sistemas, tecnologia e treinamento de pessoal foram contratados junto à fabricante considerada das melhores e maior do mundo no segmento, a filial italiana da empresa alemã Leitner-Poma. Sua marca está presente em empreendimentos similares, em regiões de condições inóspitas, cujas temperaturas caem abruptamente a patamares bastante abaixo de zero grau, impensáveis no litoral do Estado de Santa e Bela Catarina.

O planejamento econômico da operação mostrou que, para ser economicamente viável, seriam necessários 47 bondes aéreos, cada um deles com capacidade para seis pessoas sentadas. Por segurança, deslocam-se à velocidade constante de 16 quilômetros por hora, mantendo distância de 97 metros entre eles. O trajeto completo, de ida e volta, tem 3.250 metros, demorando aproximadamente 30 minutos se for completado sem paradas.

 

Parque Unipraias: idosos e necessidades especiais

 

A operação é executada por computadores, sendo vigiados por técnicos capacitados para procedimentos de emergência. Operadores nas estações têm como solicitar, via rádio, a interrupção momentânea do sistema, para acompanhar pessoas da Melhor Idade ou com necessidades especiais a entrar ou sair dos bondes aéreos. Controladores de direção e de velocidade dos ventos nas torres de sustentação monitoram todas as condições externas.

O Parque Unipraias foi inaugurado oficialmente em 26 de agosto de 1999. Ou seja: ele caminha para 20 anos de operação. Desde seus primeiros dias de funcionamento, segue a tendência do turismo mundial, de reunir várias modalidades de lazer em um só local. Assim, ao longo do tempo, foi agregando novas opções de entretenimento e lazer, como trilha de arvorismo, trenó de montanha, tirolesa espetacular e espaço de floresta mágica.

Assim, o Parque Unipraias recebe, em média, meio milhão de turistas a cada ano, de todas as partes do Brasil e do exterior. Graças ao seu bem planejado mix de atrações, garante movimento suficiente além dos momentos de alta estação. E a qualidade do empreendimento vem sendo reconhecida por atestados, condecorações, destaques, diplomas, prêmios e troféus de entidades representativas dos mais diversos setores.

 

Parque Unipraias: coleção de prêmios

 

Alguns dos prêmios recebidos pelo Parque Unipraias, relacionados a seguir em ordem alfabética da identificação:

 

• Amigo de Santa Catarina — Governo do Estado de Santa e Bela Catarina

• Amigo do Esporte — Ministério do Esporte

• Destaque do Turismo — Revista do Turismo, da Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro, capital do Estado do Rio de Janeiro

• Empresa Cidadã — Seccional Estado de Santa e Bela Catarina da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil — ADVB-SC

• Fritz Müller — Fundação do Meio Ambiente do Estado de Santa e Bela Catarina — Fatma

• Master de Turismo — Seccional Estado de Santa e Bela Catarina da Associação Brasileira das Agências de Viagem — Abav-SC

• Responsabilidade Social — Assembleia Legislativa do Estado de Santa e Bela Catarina

• Top de Marketing — Seccional Estado de Santa e Bela Catarina da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil — ADVB-SC

• Top de Turismo — Seccional Estado de Santa e Bela Catarina da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil — ADVB-SC

• Troféu Destaque — Seccional Estado de Santa e Bela Catarina da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis — ABIH-SC

 


 

Matéria produzida a partir da participação na edição deste ano da Bolsa de Negócios Turísticos do Mercosul — BNT Mercosul 2016.

 

As atividades foram desenvolvidas em três Municípios da costa Nordeste do Estado de Santa e Bela Catarina: Cidade de Balneário Camboriú, que concentrou a hospedagem e as rodadas de negócios do Business Center, no Infinity Blue Resort & SPA; Cidade de Itajaí, cujo Centro de Eventos sediou a feira; e Cidade de Penha, recebendo a festa de enceramento, realizada nas instalações do parque temático Beto Carrero World.