Empreendimento do Município de São Francisco de Paula, na Serra Gaúcha, oferece hospedagem em casa da fazenda, culinária campeira marcada pelo churrasco na vala, passeios a cavalo, diversão à beira do lago de uma represa, percurso por trilhas e outros atrativos.

 

Paradouro Rota das Barragens: Turismo de Experiências

 

Uma das modalidades de Turismo em maior crescimento pelo mundo, na atualidade, são definidas por Turismo de Experiências e Turismo de Vivências. Isso porque ambas dão aos visitantes as possibilidades de experimentar e viver seus momentos de lazer.

Deixam de ser passivos, apenas observando o desenrolar dos acontecimentos, para se tornar ativos, envolvendo-se com eles. E aí cabe de tudo, com uma riqueza de opções inesgotável, pois toda atividade humana pode ser integrada a Turismo de Experiência.

Como ninguém sai de casa para viajar e fazer as mesmas coisas do seu dia a dia, busca o diferente. O urbano almeja o rural; o rural, o urbano; calmo, agito; agitado, paz; o da terra firme sonha com lagoas, mares e rios… Sem segredos; é apenas fugir da mesmice.

 

Uma das modalidades de Turismo em maior crescimento pelo mundo, na atualidade, é definida como Turismo de Experiências ou Turismo de Vivências. Isso porque ambas dão ao visitante possibilidades de comandar, experimentar, viver, momentos de lazer

 

Paradouro Rota das Barragens: estilo estância Pampa gaúcho

 

Uma proposta interessante de Turismo de Experiência é oferecida por empreendimento singular, instalado no Município de São Francisco de Paula, situado na Serra Gaúcha, a belíssima região de montanhas localizada a Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Trata-se do Paradouro Rota das Barragens, funcionando no estilo das estâncias comuns no Pampa gaúcho. A denominação vem de estar situado junto a um dos lagos formado por um sistema de três reservatórios destinados a acumular água para consumo humano.

Duas dessas grandes construções estão ao longo do curso do Rio Caí: a Barragem de Salto, a Oeste, e Barragem do Blang, a Leste. A terceira, Barragem da Divisa, situa-se sobre um afluente à margem direita daquele curso d’água, posicionada mais a Nordeste.

 

O Paradouro Rota das Barragens, funcionando no estilo das estâncias do Pampa gaúcho, recebeu essa denominação por estar situado junto a um dos lagos do complexo de três reservatórios construídos com objetivo de acumular água destinada ao consumo humano

 

Paradouro Rota das Barragens: acesso até para grandes veículos

 

Pequeno parêntesis, antes de seguir: no Espanhol, “parador” significa hotel, pousada; no Português Brasileiro, originalmente, “paradouro” é definido como local no qual o gado se abriga; no entanto, já vem sendo utilizado como sinônimo de local para hospedagem.

O platô onde fica a estrutura de atendimento do Paradouro Rota das Barragens é plano e suas vias de acesso permitem até mesmo o trânsito de grandes veículos. Logo após a entrada, à esquerda, cruza-se pela residência na qual vive o casal de cuidadores do local.

Mais adiante, as instalações voltadas a receber e abrigar pessoas: casa de hospedagem e galpão do restaurante. Ambos, construídos à beira de um barranco, permitindo vistas dos campos ao redor e a enorme extensão do belo espelho d’água pelo seu lado Norte.

 

O platô onde fica a estrutura de atendimento do Paradouro das Barragens é bem plano e suas vias de acesso permitem até mesmo o trânsito de grandes veículos. Logo após a entrada, à esquerda, cruza-se pela residência na qual vive o casal de cuidadores do local

 

Paradouro Rota das Barragens: lembrando antigas fazendas

 

A primeira reproduz a ambientação das casas de campo, do tipo das fazendas antigas. Além dos espaços comuns, como varandão, sala de estar e hall de circulação, tem duas suítes e dois quartos, com banheiro conjugado, podendo receber até quatro casais.

Usando uma reserva de 15 camas extras e distribuindo colhões pelo chão, tem como abrigar até 35 pessoas — solução muito utilizada por famílias —, todos em busca de, principalmente, pernoitar numa ambientação mais rústica, mas cercados pela natureza.

Outro atrativo é o sistema de pensão completa, com quatro momentos para alimentação, e não os três, tradicionais: café-da-manhã, almoço, café-da-tarde — sempre enriquecido com bolinhos de chuva — e jantar: tudo produzido no sistema de culinária de fazenda.

 

O Paradouro Rota das Barragens é composto por casa para hospedagem e galpão do restaurante. Ambos foram construídos à beira de um barranco, permitindo vistas dos campos ao redor e a enorme extensão do belo espelho d’água pelo seu lado Norte

 

Paradouro Rota das Barragens: especializado em churrasco na vala

 

Todas as refeições acontecem no galpão do restaurante, onde também estão a mesa de bilhar e outras opções para diversão e lazer em ambiente fechado. Além do churrasco assado na vala, acompanhamentos são preparados à moda campeira, em fogão a lenha.

E eles são variados, todos pratos típicos da região, como, por exemplo, diversas receitas à base de pinhão, e iguarias recuperando verdadeiros sabores serranos do Sul do Brasil: arroz carreteiro, bolinho de arroz, croquete de charque, feijão mexido e diversos outros.

A lista de doces servidos como sobremesa incluem alguns desconhecidos pelas pessoas: abóbora, ambrosia, chuchu, gila (abóbora da região), pudim, sagu etc. Todos remetem aos prazeres da vida de infância no interior, distantes dos nascidos e criados nas cidades.

 

Refeições no Paradouro Rota das Barragens acontecem no restaurante, onde estão o bilhar e outras opções de lazer. Além do churrasco assado na vala, especialidade da casa, todos os acompanhamentos são preparados à moda campeira, em fogão a lenha

 

Paradouro Rota das Barragens: atrativo dos passeios a cavalo

 

As principais atividades externas — além dos bancos, deque e outros espaços voltados à contemplação — envolvem, principalmente, tranquilas caminhadas por trilhas de baixa dificuldade de passeios a cavalo, cavalgando animais dóceis, tarimbados naquele ofício.

Um ponto especial na margem do lago pode ser acessado por carro. Além de pequena praia própria para banho e boa para pescaria, tem rampa para a colocação de barcos na água, espaço para camping e completa estrutura para se aproveitar churrasco ao ar livre.

O Paradouro Rota das Barragens, com Internet via wi-fi em todos os locais, também é procurado para abrigar eventos pessoais, como festas familiares e casamentos — até mesmo casal de brasileiros vivendo na Austrália fez questão de celebrar a união por lá.

 

O Paradouro Rota das Barragens, com Internet via wi-fi em todos os locais, também é procurado para abrigar eventos pessoais, como festas familiares e casamentos — até mesmo casal de brasileiros vivendo na Austrália fez questão de celebrar a união por lá

 

Paradouro Rota das Barragens: ideal para grupos de motociclistas

 

A estrutura também é procurada por grupos de motociclistas em passeios pela região. Eles usam as instalações como base para suas incursões em ralis de baixa velocidade pelos caminhos, estradas trilhas e veredas cortando planaltos, vales e outros terrenos.

É intenção dos administradores oferecer três novas opções de atrativos: rapel leve na parede de pedra de saibreira abandonada; balonismo ancorado, amarrado ao solo, para apreciação das paisagens, do alto, em 360 graus; e navegação por catamarã na represa.

Um projeto ousado, arquitetado por empreendedores e investidores locais, está em vias de ser implantado nas proximidades. É tipo de passeio muito procurado Brasil afora, e terá uma estação no Paradouro Rota das Barragens — mas ainda não pode ser revelado.

 

O Paradouro Rota das Barragens é muito procurado por motociclistas, em passeios pela região. Eles usam as instalações como base para incursões em ralis de baixa velocidade pelos caminhos, estradas trilhas e veredas cortando planaltos, vales e outros terrenos

 

Paradouro Rota das Barragens: verdadeiro sonho materializado

 

O Paradouro Rota das Barragens surgiu dos sonhos de Jorge Luís Ribeiro Marques, extremamente ligado ao tradicionalismo gaúcho. Ao lado a esposa, Cirlete Heitelvan Marques, desativou uma oficina mecânica, passou pelo Comércio e chegou ao Turismo.

— Sempre fiz churrasco em casa, acampamentos, rodeios, para os amigos. No início, era de graça, voluntário. Decidi passar a cobrar devido aos “vadios”. Alguns caras, nos grupos, não faziam nada e tinham a cara de pau de ficar pedindo isso, pedindo aquilo…

Como fazia bem feito, com muita qualidade, e respeitando as principais tradições, logo começou a ser contratado churrasqueiro oficial de festas tradicionais. Mas, como não dava para lidar com alimentos exibindo unhas sujas de graxa, óleo, parou com a oficina.

 

O Paradouro Rota das Barragens surgiu dos sonhos de Jorge Luís Ribeiro Marques, extremamente ligado ao tradicionalismo gaúcho. Ao lado a esposa, Cirlete Heitelvan Marques, desativou uma oficina mecânica, passou pelo Comércio e chegou ao Turismo

 

Paradouro Rota das Barragens: origem numa mercearia fracassada

 

Montou uma mercearia no Mercado Municipal da Cidade de São Francisco de Paula, com um açougue. Essa nova empreitada comercial, não deixando resíduos nas mãos, permitiu ampliar o atendimento às demandas, vindas, em maioria, da Prefeitura local.

A experiência comercial acabou da pior forma possível, graças ao milionário calote imposto à empresa por um único cliente. Comprou muita coisa, durante bastante tempo e, no momento de quitar, fugiu a raia. Demorou, mas quitou todos os compromissos.

— Ainda no sufoco, fui contratado para organizar a primeira mostra da Gastronomia Serrana durante a Festa do Pinhão. Na cozinha, coloquei em prática receitas de comida campeira. Sucesso total. Não parei mais. E acabei participando de programas de TV.

 

Depois do fracasso da mercearia, no Mercado Municipal da Cidade de São Francisco de Paula, e o atendimento às demandas vindas, em maioria, da Prefeitura local, arrendou a propriedade na qual instalou o Paradouro Rota das Barragens — isso, há quatro anos

 

Paradouro Rota das Barragens: presença em programas de televisão

 

Trabalhou na Rede Bandeirantes de Televisão, no “Terra Viva”. Atuou junto ao Raul Canal, hoje com o “Pampa e Cerrado”, na Cidade de Brasília, e Wolmir Martins, já falecido. Ele apresentava conjuntos gaúchos em edições gravadas por todos os lugares.

— Abria o programa com um conjunto musical. Terminada a primeira música, corria para a cozinha e perguntava sobre o cardápio do dia. Eu explicava a receita e ficava cozinhando. Ele voltava para o palco, apresentava as atrações e, no final, vinha comer.

Logo foi procurado pela Rede Globo de Televisão, para alimentar equipes gravando em campo aberto. Acompanhou a produção de minisséries e novelas, como “O Tempo e o Vento” e “Vida da Gente”. E, também, para apoiar a produção de filmes e comerciais.

 

Mesmo o Paradouro Rota das Barragens funcionado, não deixa de atender pedidos da Rede Globo de Televisão, para alimentar suas equipes de gravação. Assim, acompanhou a produção de minisséries e novelas, como “O Tempo e o Vento” e “Vida da Gente”

 

Paradouro Rota das Barragens: atuação na divulgação do Turismo

 

Não demorou para integrar o esforço de divulgação dos atrativos de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul. Rodou por diversas capitais do País integrando workshops nos quais um dos maiores diferenciais estava em provar o autêntico churrasco dos pampas.

— Participei da mostra da cultura do Sul Brasil afora. Subimos pelo litoral, do Sul para o Norte, até à Cidade de Aracaju. Era para eu ser pago. Mas, foram caindo patrocínios, verbas, ficaram com pouco dinheiro. Fiz outra proposta: vou sem despesas. Aceitaram.

Lembra com orgulho da recepção ao, então, presidente Fernando Henrique Cardoso, no Aeroporto da Cidade de Canela. Foram todos devidamente trajados, a cavalo, portando facões à cintura. A segurança da Presidência, é claro!, de início, impediu a aproximação.

— Eles temiam um atentado, acho. Hoje, talvez, pode até ser problema. Mas, na época, não. Não sei se o presidente interveio, mas fomos liberados, inclusive durante o almoço, na Cidade de Gramado, quando servimos nosso churrasco exibindo as facas na cintura.

Na gestão do Paradouro Rota das Barragens, Jorge Luís Ribeiro Marques conta com a atuação do filho, Cassiano Heitelvan Marques, e do casal Patrícia Camargo e Dionatan Reis, todos eles sócios do empreendimento, cujas reservas só acontecem por WhatsApp.

 

Na gestão do Paradouro Rota das Barragens, Jorge Luís Ribeiro Marques conta com a atuação do filho, Cassiano Heitelvan Marques, e do casal Patrícia Camargo e Dionatan Reis, todos eles sócios do empreendimento, cujas reservas só acontecem por WhatsApp

 

Paradouro Rota das Barragens: imagens de verdadeiro paraíso

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

O post “Paradouro Rota das Barragens oferece vivência dos campos dos pampas gaúchos” foi produzido, por João Zuccaratto, jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, em função da sua participação na Gramado Summit,  entre os dias 31 de julho a 2 de agosto de 2019, na Cidade de Gramado, ícone do turismo na Serra Gaúcha, região de montanhas localizado a Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, com apoio da Brocker Turismo, Rede Laghetto de Hotéis e Secretaria de Turismo da Prefeitura da Cidade de São Francisco de Paula.

Clique nos trechos em colorido ao longo do post “Paradouro Rota das Barragens oferece vivência dos campos dos pampas gaúchos” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a conteúdos do próprio Turismoria, verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

O post “Paradouro Rota das Barragens oferece vivência dos campos dos pampas gaúchos” pode apresentar erros. Se forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “Paradouro Rota das Barragens oferece vivência dos campos dos pampas gaúchos” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar para ser substituída.

No post “Paradouro Rota das Barragens oferece vivência dos campos dos pampas gaúchos”, a repetição de algumas expressões, como “Abav Expo Internacional de Turismo 2019”, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.