Um dos segmentos do turismo de lazer nasceu com pessoas viajando para ver pessoalmente paisagens dispostas em livretos por pintor de aquarelas. Beleza da Cidade de Paris é exemplo para atração de visitantes. Brasil, com patrimônio expressivo, ainda falha na proteção desta riqueza.

 

Paisagem: pintor vendia aquarelas com cenas rurais

 

A arte de colocar em quadros as belezas pertinentes a determinadas paisagens induziu a criação de uma das modalidades do atual turismo de lazer: pessoas deslocando-se do espaço no qual vivem para visitar e conhecer ao vivo aqueles locais retratados nas telas.

Isso foi obra de um modesto artista plástico inglês, pelo início do século XVIII, anos 1700. Trata-se de William Gilpin, com o hábito de pintar ao ar livre, transferindo para suas aquarelas cenas rurais dos arredores da Cidade de Londres, a capital da Inglaterra.

Comercializando estes trabalhos únicos nos mercados de arte, para vender mais, tinha de produzir bastante. Então, viajava muito e aprimorou a técnica para concluir as peças o mais rápido possível. Ou seja: transformou-se em uma “câmera fotográfica” humana.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — William Gilpin vendia suas aquarelas com cenas rurais dos arredores da Cidade de Londres, a capital da Inglaterra. Viajava muito e aprimorou a técnica para concluir peças rapidamente, transformando-se em uma “câmera fotográfica” humana

 

Paisagem: brochuras com imagens e textos resumidos

 

Se, no início, negociava os pequenos desenhos separadamente, não demorou perceber ser interessante reuni-los em cadernos, seguindo a ordem da produção. E acrescentar às páginas breves escritos, detalhando importantes pontos de observação daquele cenário.

Com o tempo, compradores das brochuras de William Gilpin sentiram-se estimulados a refazer os percursos apresentados naqueles exemplares. Então, passaram a aproveitar os momentos de tempo livre para conhecer ao vivo as realidades geradoras das imagens.

Não demorou muito, fazer “os passeios de Gilpin” tornou-se moda. Como, em inglês, “passeio” é “tour”, logo aquele hábito foi classificado de “tourisme”. E as revistinhas reunindo imagens e textos são classificadas como primeiros guias turísticos do mundo.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — As brochuras de William Gilpin, reunindo aquarelas e textos resumidos sobre os locais visitados são considerados os primeiros guias turísticos do mundo. Eles foram os precursores dos atuais folhetos com fotos coloridas e descrições ampliadas

 

Paisagem: tema de Mestrado de pesquisadora brasileira

 

Assim, o paisagismo, na época entendido apenas pela forma de transferir para a tela a percepção de uma paisagem, é célula-mãe de uma das modalidades mais significativas dentro do segmento econômico turismo no seu todo nos dias de hoje, a viagem de lazer.

Agora, em acepções ampliadas, paisagem e paisagismo, vistos como instrumentos para valorizar destinos turísticos, foram temas de concorrida palestra promovida pelo Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Estado do Espírito Santo — Sebrae-ES

O assunto foi dissecado por uma das maiores conhecedoras daquelas especialidades no Brasil: Schirley Fátima Nogueira da Silva Cavalcante Alves, engenheira agrícola, com Mestrado, Doutorado e dois Pós-Doutorados, além de experiência profissional no setor.

O Mestrado foi feito na Ecole Nationale d’Architetura de Paris la Villete e Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales; o Doutorado, na Université de Paris I, Panthéon Sorbonne. Todas, como expresso em seus nomes, na Cidade de Paris, capital da França.

Os dois Pós-Doutorados aconteceram no País, mais especificamente, na Universidade Federal de Lavras — UFLA, instalada na Cidade de Lavras, situada a Sudeste do Estado de Minas Gerais, local onde vive e atua como professora e também como consultora.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — A professora Schirley Fátima Nogueira da Silva Cavalcante Alves, com Mestrado e Doutorado em Paisagismo, feito na Cidade de Paris, a capital da França, atua com consultoria, planejamento e produção de trabalhos relacionados ao turismo

 

Paisagismo: definições diversas, conceitos abrangentes

 

Atualmente dando aulas para o Curso de Arquitetura da Unilavras, centro universitário da mesma cidade na qual vive, dividiu seus amplos conhecimentos com uma atenta plateia formada por empreendedores, gestores públicos, interessados, profissionais…

Começou detalhando modernas definições de paisagem: extensão de território alcançada num lance de olhar; conjunto de componentes naturais ou não do espaço capaz de ser apreendido pelo olhar; e, ainda, desenho, gravura ou pintura representativas da mesma.

Ou, segundo convenção da União Europeia, talvez o documento mais atual em relação ao tema, paisagem é parte do território percebida pelas populações, resultante da ação da natureza, ações de seres humanos e das relações entre a primeira e os segundos.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — A vista do Convento da Penha, na Cidade de Vila Velha, situada no litoral do Estado do Espírito Santo, é exemplo de paisagem surgida pela intervenção humana dentro de um território, conforme a definição estabelecida pela Uniao Europeia

 

Paisagem: um bem patrimonial das sociedades

 

Em suma, a paisagem é resultado da gestão das pessoas sobre um território. Menor esta interferência, mais natural ela é; maior, mais urbana se mostra. Em ambos os casos, não se resume somente à aparência, ou elemento de decoração, e sim a um bem patrimonial.

Para se alcançar melhor qualidade neste manejo, as sociedades precisam criar e seguir políticas específicas capazes de identificá-las, antecipar a existência ou a evolução dos elementos capazes de destruí-las e estabelecer a sistemática de proteção e preservação.

Chamando atenção para a particularidade da paisagem, quase sempre, suplantar limites como divisas entre cidades, Estados e países, a professora Schirley dirigiu o foco para os ambientes nos quais ocorrem as maiores mais velozes degradações: zonas urbanas.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — O Pico do Itabira, ao lado da Cidade de Cachoeiro, e a Pedra do Frade e da Freira, ao fundo, na Cidade de Itapemirim, ambas situadas ao Sul do Estado do Espírito Santo, são bons exemplos da paisagem suplantando os limites geográficos ou territoriais

 

Paisagem: ocupação urbana como grande inimiga

 

Se a ocupação humana de qualquer espaço não segue um ordenamento privilegiando a preservação da paisagem, acaba destruindo a beleza e a singularidade antes existente. E não há como atrair turistas para locais onde imperam erosão, lixo, sujeira, pichação…

Se olharmos para a realidade brasileira, há poucas exceções de cidades trilhando rota diferente: comunidades trabalhando em prol do capricho e do embelezamento mesmo das coisas mais simples: aparência das casas, criação de jardins, limpeza das praias etc.

É passada a hora dos administradores públicos buscarem soluções capazes de manter o existente, revitalizar o abandonado e recuperar o destruído. A história exibe histórico de conquistas sem iguais naqueles optando por este caminho, nem sempre uma saída fácil.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — O conjunto formado por Praia da Curva da Jurema, abaixo, Praia do Canto, ao centro, e Praia de Camburi, ao fundo, todas a leste da Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, é resultado da intervenção humana sobre a paisagem natural

 

Paisagem: sucesso da reforma da Cidade de Paris

 

Ao citar exemplos de investimentos na melhoria de paisagens urbanas, focou a Cidade de Paris. Iniciados em 1852, por ordem expressa do imperador Napoleão III, foram conduzidos pelo “artista demolidor” Georges-Eugène Haussmann, durante 17 anos.

O emaranhado de ruas e vielas surgidas sem planejamento foi substituído por avenidas, bulevares e praças distribuídas geometricamente. O aglomerado de pequenos imóveis do Centro foi posto abaixo, com as áreas livres sendo ocupadas por prédios imponentes.

Em quase duas décadas, foram plantadas 600 mil árvores ao longo das novas vias e em quase dois mil hectares de bosques, parques e praças. Como esta política seguiu adiante, ao final do século XX, anos 1900, acumulava-se três mil hectares de áreas arborizadas.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — Napoleão III, imperador da França, autorizou Georges-Eugène Haussmann a transformar a Cidade de Paris. O trabalho deste último criou um dos destinos mais procurados por turistas de todo o mundo e chamou atenção para o valor das paisagens

 

Paisagem: Brasil ainda não valoriza a preservação

 

Matadouro abandonado, vinhedo antigo, fábrica de automóveis desocupada, linha férrea desativada e espaços similares foram revitalizados. A Cidade de Paris ganhou e mantém o visual responsável por torná-la um destino dos mais desejados por visitantes na Terra.

O sucesso alcançado pela Cidade de Paris dentro da indústria do turismo transformou a paisagem em interesse de outras nações, e não só da Europa. O Brasil é uma delas, mas a cultura da paisagem ainda não se impregnou como determinante em nossa sociedade.

Talvez pelo acervo mostrando-se como inesgotável, nos demos, e continuamos dando, ao luxo de destruir riquezas herdadas da natureza ou mesmo erguidas por nós mesmos. Muitas delas jogadas fora em razão de um progresso logo mostrando-se insustentável.

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — A Praia das Castanheiras, uma das mais belas da Cidade de Guarapari, cidade situada no litoral Sul do Estado do Espírito Santo, recuperada depois de anos de degradação causada pela ocupação e uso incorretos de um patrimônio natural tão belo

 

Paisagismo: extensa lista de exemplos negativos

 

A lista é extensa, mas duas merecem ser lembradas, pois poderiam ter sido evitadas. Uma é o complexo de Saltos das Sete Quedas, no extremo Oeste do Estado do Paraná. A outra, o Palácio Monroe, antiga sede do Senado Federal, na Cidade do Rio de Janeiro.

A primeira poderia ter sido evitada construindo-se hidrelétricas menores ao longo do Rio Paraná, todas em território apenas brasileiro. O segundo foi ao chão mesmo após uma fortuna ser investida no desvio da linha do metrô, justamente para não o demolir.

A professora Schirley Fátima Nogueira da Silva Cavalcante Alves concluiu sua fala alertando: “Capricho e embelezamento criam paisagens belas e singulares. E os turistas apreciadores de paisagens de qualidade certamente pagarão por mais este diferencial.”

 

Paisagem e paisagismo são fundamentais para atrair turistas de qualidade

Paisagem — Se, na época, houvesse preocupação com a preservação dos bens naturais, o conjunto de cachoeiras das Sete Quedas, situado na Cidade de Guaíra, extremo Oeste do Estado do Paraná, não teria sido afogado pela construção da Hidrelétrica de Itaipu

 


 

Matéria produzida pelo jornalista especializado em turismo João Zuccaratto, baseado na Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, a partir de sua participação na palestra “Fortalecimento do Destino: a Paisagem como Instrumento de Valorização Turística”, realizado dia 15 de dezembro de 2017, em promoção do Serviço Brasileira de Apoio à Micro e Pequena do Estado do Espírito Santo — Sebrae-ES, nos espaços da Universidade Aberta do Brasil, localizada no bairro da Prainha, na Cidade de Vila Velha, situada no litoral Leste do Estado do Espírito Santo.

Clique nos trechos em colorido ao longo do texto para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

A repetição da expressão “paisagem”, e outras mais, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.

Não se trata de trabalho científico, podendo apresentar erros. Se eles forem apontados, reeditarei o material com as correções. Todas as fotos têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar que será substituída.

Matéria republicada no seguinte veículo:

• Jornal Passaporte, sediado na Cidade de Belém, capital do Estado do Pará.