Formação do Município confunde-se com a história do Estado do Rio Grande do Sul. Ocupação daquelas terras começou logo após o descobrimento do Brasil. Diferentes visões sobre os limites do Tratado de Tordesilhas acabaram beneficiando Portugal, que avançou em direção a Oeste.

 

Município de Terra de Areia: a Nordeste das terras gaúchas

 

O Município de Terra de Areia, situado próximo ao litoral Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, foi oficialmente criado em 13 de abril de 1988. Mas sua história remonta ao início da ocupação e colonização das terras do Brasil, por espanhóis e portugueses.

No Tratado de Tordesilhas, as terras pertenciam à Espanha. O domínio de Portugal ia até onde hoje está a Cidade de Laguna, no litoral Sul do Estado de Santa Catarina. Mas, imprecisões no documento e nas medições da época geraram os mais diversos conflitos.

No início do século XVI, anos 1500, a diplomacia portuguesa lutava para impor a teoria da “Ilha Brasil”. Segundo essa ótica sobre o Tratado, a terra de Portugal, na América, estaria limitada, ao Norte, pela foz do Rio Amazonas e, ao Sul, pela foz do Rio da Prata.

 

No Tratado de Tordesilhas, a área do Município de Terra de Areia pertencia à Espanha. O domínio de Portugal ia até onde está a Cidade de Laguna, litoral Sul do Estado de Santa Catarina. Imprecisões no documento e nas medições geraram diversos conflitos

 

Município de Terra de Areia: Portugal acabou levando vantagem

 

Enquanto não se chegava a uma conclusão, espanhóis e portugueses cuidavam dos seus interesses, cada um defendendo suas posições. A Espanha levava desvantagem devido à extensão dos domínios e foco na exploração de metrais preciosos no México e no Peru.

A partir da interpretação do acordo de 7 de junho de 1494 a seu favor, no final de 1531, a Coroa Portuguesa mandou expedição, comandada por Martim Afonso de Sousa, correr o litoral da Colônia, do Norte a Sul, para instalar marcos indicativos de posse das terras.

Ele chegou ao Estuário do Rio da Prata, contornando o litoral do, agora, Uruguai. Mas, com o naufrágio de sua caravela, não concluiu a missão: subir pela margem esquerda do curso d´água até onde fosse possível navegar, deixando estelas informativas de domínio.

 

No final de 1531, a Coroa portuguesa mandou expedição, comandada por Martim Afonso de Sousa, correr o litoral da Colônia, do Norte a Sul, para instalar marcos indicativos de posse das terras. Um deles pode ser esse, na Cidade de Porto Seguro

 

Município de Terra de Areia: fortificação na foz do Rio da Prata

 

A Coroa Portuguesa voltou a reafirmar o interesse em estender as fronteiras do Brasil até o Rio da Prata ao determinar ao capitão-mor da Capitania do Rio de Janeiro, Manuel Lobo, enviar uma expedição para estabelecer fortificação na margem esquerda da foz.

A iniciativa teve apoio dos comerciantes estabelecidos na Capitania do Rio de Janeiro, desejosos de consolidar seus já expressivos negócios com a América Espanhola. Em 22 de janeiro de 1680, os barcos aportam num ponto em frente à Colônia de Buenos Aires.

Sem perder tempo, instala-se a Colônia do Santíssimo Sacramento e se dá início à construção de um forte, a partir de planta no formato quadrangular. A resposta das autoridades espanholas àquela invasão portuguesa dos seus domínios foi imediata.

 

Planta da Colônia do Santíssimo Sacramento, de 1680, instalada pelos portugueses na margem esquerda do Rio de Prata, em frente à Colônia de Buenos Aires, na margem direita. A resposta das autoridades espanholas à invasão dos seus domínios foi imediata

 

Município de Terra de Areia: Portugal mantém suas posses

 

Em pouco tempo, o governador da Colônia de Buenos Aires, Vera Mujica, reagiu, e o núcleo português foi dominado. Todavia, devido a negociações diplomáticas, a posse da Colônia do Santíssimo Sacramento foi devolvida a Portugal, em 7 de maio de 1681.

Isso foi possível com a assinatura entre espanhóis e portugueses do Tratado Provisional de Lisboa. Provavelmente, as duas nações aceitaram um armistício até se chegar a uma definição sobre a posição exata da linha divisória definida pelo Tratado de Tordesilhas.

De todo modo, para não caracterizar ocupação permanente, o documento especificava a proibição de construir fortalezas e edifícios de pedra e manter forças militares no local. Os portugueses nem deram bola: ampliaram as fortificações e ergueram novos prédios.

Dois anos depois, 1683, ocuparam a região com tropas. Os problemas não impediram o progresso da Colônia do Santíssimo Sacramento. Logo, ela tornou-se importante ponto comercial, possibilitando trocas mercantis entre as terras americanas das coroas ibéricas.

 

Mapa com a localização da Colônia do Santíssimo Sacramento em relação a outros pontos de destaque na região, tanto do atual Estado do Rio Grande do Sul quanto do Uruguai e da Argentina; note a posição da Cidade de Buenos Aires, bem em frente

 

Município de Terra de Areia: povoamento e defesa

 

Assim, o objetivo dos comerciantes e financiadores foi alcançado e mantido assegurado. Entre os produtos ali comercializados, estavam escravizados africanos, vendidos pelos portugueses aos espanhóis. Esses eram depois revendidos na Cidade de Buenos Aires.

O sucesso da implantação da Colônia do Santíssimo Sacramento fez crescer o interesse dos colonizadores portugueses em povoar e defender o território meridional do Brasil. E avançam em direção aos territórios do atual Estado do Rio Grande do Sul e do Uruguai.

No final do século XVII, anos 1600, devido às dificuldades para se ultrapassar a agora conhecida Serra Gaúcha, a faixa litorânea tornou-se a rota preferida para deslocar-se tanto para o Sul quanto para o Norte, usada tanto para fins lícitos quanto para ilícitos.

Entre esses últimos, o de maior presença era contrabando de gado. Rebanhos bovinos criados nas extensões dos Pampas, conduzidos para o interior da Capitania das Minas Gerais ou da Capitania de São Paulo, cruzavam a região sem pagar os impostos devidos.

 

No final do século XVII, anos 1600, devido às dificuldades para se ultrapassar a agora conhecida Serra Gaúcha, a faixa litorânea onde hoje situa-se o Município de Terra de Areia tornou-se a rota preferida para deslocar-se tanto para o Sul quanto para o Norte

 

Município de Terra de Areia: povoamento e defesa

 

Os sesmeiros chegaram à região do Município de Terra de Areia no início do século XVIII, anos 1700. Entre os colonizadores, Joaquim Antônio de Quadros: seu sobrenome foi utilizado para denominar uma das grandes lagoas do entorno: Lagoa dos Quadros.

Por volta de 1736, Cristóvão Pereira de Abreu abre a Estrada dos Tropeiros, facilitando o deslocamento de pessoas e mercadorias. Concentrando a movimentação, ficou mais fácil fazer fiscalização. Para isso, é criado um Registro, ou Guarda; mais tarde, Patrulha.

Essa última denominação veio das patrulhas dali enviadas com objetivo de fiscalizar as trilhas pela região, indo atrás daqueles transitando ilegalmente. Como é bem comum na História do País, ao redor desse posto de fiscalização, surge e cresce um núcleo urbano.

 

Os sesmeiros chegaram à região do Município de Terra de Areia no início do século XVIII, anos 1700. Entre os colonizadores, Joaquim Antônio de Quadros: seu sobrenome foi utilizado para denominar uma das grandes lagoas do entorno: Lagoa dos Quadros

 

Município de Terra de Areia: Campos de Tramandaí

 

As terras do Litoral Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul favorecem a criação de rebanhos bovinos e equinos. Assim, a partir de 1743, começam a serem distribuídas as primeiras sesmarias, pelos Campos de Tramandaí, como a região era referida na época.

No início daquele ano, com “roças e casas”, segundo notas de Inácio José de Mendonça e Silva, soldado servindo naquela Guarda, é estabelecida, efetivamente, a sede do futuro Município de Guarda Velha de Viamão. Mas o trajeto até isso acontecer foi bem longo.

O nome vem de um templo inaugurado em 1760: Capela Curada de Santo Antônio da Guarda Velha de Viamão. Nesse mesmo ano, o conjunto urbano é elevado a Freguesia; em 1809, Vila; e, a 3 de abril de 1811, nasce o Município de Santo Antônio da Patrulha.

 

As terras do Litoral Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, onde está o Município de Terras de Areia, favorecem a criação de rebanhos bovinos e equinos. Assim, a partir de 1743, começam a serem distribuídas as primeiras sesmarias por aqueles campos

 

Município de Terra de Areia: chegada dos açorianos

 

Também é de 1760 o início da chegada das primeiras famílias açorianas. Só em 1771, oficialmente, o governador da Capitania do Rio Grande do Sul foi autorizado assentar os oriundos do Arquipélago dos Açores no Município de Santo Antônio da Patrulha.

Os imigrantes recebiam “datas”, pedaços de terra de tamanho variável. Como relatou o monsenhor Ruben Neis, 28 famílias foram assentadas nas terras existentes entre a sede do povoado — a, então, Vila de Santo Antônio da Patrulha — e a Lagoa dos Quadros.

Em 16 de dezembro de 1857, o Município de Santo Antônio da Patrulha perde grande parte do território. Nasce o Município de Conceição do Arroio, levando vasta área, dos hoje Município de Palmares do Sul, ao Sul, ao Município de Torres, no extremo Norte.

Em 1934, o Município de Conceição do Arroio passa a chamar-se Município de Osório. Isso ocorre por ordem do interventor federal José Antônio Flores da Cunha, objetivando homenagear o marechal Manuel Luís Osório, patrono da Cavalaria nacional, lá nascido.

 

É de 1760 o início da chegada das famílias açorianas à região do Município de Terra de Areia. Em 1771, oficialmente, o governador da Capitania do Rio Grande do Sul autoriza assentar vindos do Arquipélago dos Açores no Município de Santo Antônio da Patrulha

 

Município de Terra de Areia: 13 de abril de 1988

 

O Município de Terra de Areia, desmembrado do Município de Osório em 13 de abril de 1988, nasce a partir da ocupação do Vale das Três Forquilhas. Ela foi desenvolvida por descendentes de indígenas, portugueses, negros, alemães, italianos e poloneses.

Foram os imigrantes alemães os batizadores do local como “Terra de Areia”, devido ás características do solo da região. Eles chegaram no final do século XIX, anos 1800, quando toda economia do Vale das Três Forquilhas teve um aquecimento significativo.

Isso veio em decorrência de dois motivos: incremento da navegação através da Lagoa Itapeva e Lagoa dos Quadros, depois de serem unidas por sangradouro e instalação de porto à margem do Rio Cornélios — também conhecido por Sangradouro de Cornélios.

O local logo tornou-se muito movimentado, devido à exportação de abacaxi e banana, em larga escala, para outras cidades do Estado do Rio Grande do Sul. A expansão da malha rodoviária, no início do século XX, anos 1900, levou ao seu desaparecimento.

 

Imigrantes alemães batizaram a região como “Terra de Areia”, devido ás características do solo, propício ao cultivo de abacaxi. Logo, o local ficou conhecido devido à grande produção e exportação desse fruto para todo o Estado do Rio Grande do Sul e fora dele

 

Município de Terra de Areia: abertura da BR 101

 

Aliás, a demarcação e posterior construção da rodovia BR 101, ao longo dos anos 1940 e 1950, é outro divisor de águas na história do Município de Terra de Areia. Aberta ao tráfego, mesmo com piso de terra, impulsiona sobremaneira o progresso daquela região.

Registre-se, ainda, outro importante salto econômico, ocorrido a partir de 1968, quando lá chegaram inúmeros agricultores japoneses. Povo obstinado pelo trabalho, superaram as dificuldades iniciais e deram grande contribuição ao desenvolvimento naquela época.

O asfaltamento da BR 101, início dos anos 1970, e duplicação, final dos anos 1990 e início dos anos 2000, consolidaram uma nova vertente de Economia para o Município de Terra de Areia: empreendimentos relacionados à logística de transporte rodoviário.

 

O asfaltamento da BR 101, início dos anos 1970, e duplicação, final dos anos 1990 e início dos anos 2000, consolidaram uma nova vertente de Economia para o Município de Terra de Areia: empreendimentos relacionados à logística de transporte rodoviário

 

Município de Terra de Areia: Túnel do Morro Alto

 

A recente construção do Túnel do Morro Alto reduziu a distância entre a Cidade de Terra de Areia e a Cidade de Porto Alegre, a capital do Estado. Se, antes, ela somava 153 quilômetros, agora foi reduzida para 140, diminuindo, assim, o custo do transporte.

O território cortado de Norte a Sul pela rodovia BR 101 levou à construção de diversos entroncamentos com outras estradas federais e estaduais. Isso tem atraído grandes redes de lojas locais, regionais e nacionais a abrir filiais nas proximidades dos vários trevos.

Com facilidade de deslocamento e estacionamento, elas criam condições de atender os consumidores das pequenas cidades situadas nas proximidades em estabelecimentos com maiores dimensões, em vez de instalar várias pequenas filiais em cada um deles.

 

A recente construção do Túnel do Morro Alto reduziu a distância entre a Cidade de Terra de Areia e a Cidade de Porto Alegre, a capital do Estado. Se, antes, ela somava 153 quilômetros, agora foi reduzida para 140, diminuindo, assim, o custo do transporte

 

Município de Terra de Areia: Capital Gaúcha do Abacaxi

 

Com área de 135 quilômetros quadrados e população oscilando em torno dos 11 mil habitantes, hoje o Município de Terra da Areia é conhecido no Estado do Rio Grande do Sul, e fora dele, como “Capital Gaúcha do Abacaxi”, por sua grande produção da fruta.

Em paralelo, tem crescido o cultivo de banana, cana-de-açúcar, milho e aipim — ou mandioca — e feijão. No Vale do Rio Três Forquilhas, hortaliças — repolho, couve-flor, feijão-vagem, beterraba, cenoura, rabanete, tomate, alface e berinjela — e flores.

A economia do Município de Terra de Areia também se destaca pela propriedade rural de pequeno porte, mas com força na agropecuária. A criação de gado de leite, cria e engorda tem lugar especial nos campos e banhados, mais próximos aos rios e lagoas.

 

A economia do Município de Terra de Areia também se destaca pela propriedade rural de pequeno porte, mas com força na agropecuária. A criação de gado de leite, cria e engorda tem lugar especial nos campos e banhados, mais próximos aos rios e lagoas

 

Município de Terra de Areia: diversificação econômica pelo Turismo

 

Sem ter perspectivas de grandes investimentos em outros setores para os próximos anos, — como a vinda de grandes indústrias, por exemplo —, a administração do Município de Terra de Areia deu início a plano voltado ao incremento de atividades de Turismo.

A intenção é dinamizar o aproveitamento de potenciais já existentes — no agroturismo, ecoturismo, turismo de aventura, turismo de eventos, turismo de lazer e turismo náutico, por exemplo —, com a incorporação de micro e pequenos empreendedores à atividade.

Um dos primeiros passos foi a criação do primeiro roteiro organizado para visitação por turistas. Trata-se do Caminho dos Vales e das Águas, dando prioridade ao envolvimento do turista com a diversidade de suas riquezas naturais e alguns atrativos bem especiais.

 

Um passo em direção ao Turismo dado pelo Município de Terra de Areia foi a criação do primeiro roteiro organizado para visitação por turistas. É o Caminho dos Vales e das Águas, dando prioridade à diversidade de riquezas naturais e atrativos muitos especiais

 

Município de Terra de Areia: roteiro já conta com nove integrantes

 

O trabalho de criação, formatação e treinamento dos primeiros integrantes teve o apoio do Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio Grande do Sul — Sebrae-RS — e prossegue em busca de novos participantes, enriquecendo o circuito.

O projeto tem apoio do polo da Universidade La Salle no Município de Terra de Areia, oferecendo graduação e pós-graduação em Turismo, além de abrir suas instalações para abrigar realizações como apresentações, encontros, eventos, lançamentos, reuniões…

Contato: DDD 51 e fixo 3666-1373 ou móvel 9-9867-3495 — [email protected]

Outra apoiadora, a Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas — Coomafitt, oferece programas, com participação da sua Juventude Rural, a interessados em conhecer e participar de vivências em lavouras de associados.

Contato: DDD 51 e móvel 9-9860-6532 ou 9-9558-4075

 

O projeto tem apoio do polo da Universidade La Salle no Município de Terra de Areia, oferecendo graduação e pós-graduação em Turismo, além de abrir suas instalações para abrigar realizações como apresentações, encontros, eventos, lançamentos, reuniões…

 

Outra apoiadora, a Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas — Coomafitt, oferece programas, com participação da Juventude Rural, a interessados em conhecer e participar de vivências em lavouras de associados

 

Município de Terra de Areia: resumo dos atrativos do roteiro

 

Além de visita à Cascata do Ressaco, desfrutando de paisagens exuberantes e banho nas águas límpidas, conhece-se também a centenária Figueira da Sanca Funda. Espalhando-se pelo terreno, criou ambientes para atividades ao ar livre e cenários para belas fotos.

 

Cascata do Ressaco: Estrada do Ressaco 3.790 ؅— DDD 51 e móvel 9-9289-9394

 

Figueira Sanca Funda: Estrada do Espigão 3.100 — DDD 51 e móvel 9-8184-7383

 

Os outros atuais integrantes já capacitados para receber visitantes estão relacionados a seguir, segundo a ordem alfabética de suas identificações:

 

  • Fazenda Cheiro da Mata

 

Atendimento para famílias, escolas e empresas, além de eventos diversos. Oferece atividades e gastronomia ligadas ao meio rural. Pista para Provas de Laço e espaço para Equoterapia. Fica no quilômetro 5 da Rota do Sol, na localidade de Perpétuo Socorro.

Contato: DDD 51 e móvel 9-9635-3354 ou 9-9891-0143 — [email protected]

 

  • Ilhota Esporte e Lazer

 

Espaço natural para eventos ao ar livro, como prática de canoagem, ciclismo rural e pilotagem de motos e 4×4 por trilhas, além de voo a bordo de para-motor. Fica na Rota do Sol, cerca de um quilômetro do viaduto da BR 101 ao lado do Posto do Cláudio.

Contato: DDD 51 e móvel 9-9943-2727 — [email protected]

 

  • Pitayas Capra

 

Produção orgânica de frutas cítricas, como acerola, cereja e maracujá, além de abacate, jaboticaba e manga. O carro chefe é a pitaya: originária do México, vem tornando-se muito popular por todo o Brasil, devido aos benefícios proporcionados para a saúde.

O sítio tem boa estrutura para receber seus visitantes, oferecendo degustação de frutas e sucos naturais da safra. Situado na localidade de Perpétuo Socorro, mais precisamente na Estrada do Gringos, tem acesso facilitado por estrada vicinal de boa conservação.

Contato: DDD 51 e móvel 9-9908-2186 — [email protected]

 

  • Pub Bier Áquila

 

Além da cerveja artesanal, vende produtos orgânicos e oferece almoço e jantar nos quais se destaca uma grande variedade de espécies de peixes. Localizado na Costa da Lagoa, no quilômetro 57 da BR 101, permite o estacionamento à frente do estabelecimento.

Contato: DDD 54 e móvel 9-9945-5695

 

  • Satyadhara Yogalife Ashram

 

Instalação muito bem montada, oferece aulas de yoga, cursos e retiros com hospedagem e alimentação. Há espaço para camping, com apoio da estrutura de banheiros e cozinha do local. Ponto de partida para a Trilha das 10 Cachoeiras. Fica na Linha Becker 2.273.

Contato: DDD 54 e móvel 9-9991-5263 — [email protected]syashram.blogspot.com

 

  • Sítio das Águas

 

Cabanas e casa na árvore, degustação de frutas e hortaliças de cultivo orgânico, piscina natural, travessias sobre pinguelas em rota ecológica, acessível para adultos e crianças. Serve um belo café-colonial. Fica em Sanga Funda, na Estrada do Arroio do Ressaco.

Contato: DDD 51 e móvel 9-9823-7573 — [email protected]

 

Município de Terra de Areia: imagens falando por si mesmas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

O post “Município gaúcho de Terra de Areia diversifica economia voltando-se para o Turismo” foi produzido por João Zuccaratto, jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, com apoio da Rede Ficare de Hotéis, através da sua unidade Guarita Park Hotel, situada na Cidade de Torres, localizada no litoral Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Clique nos trechos em colorido ao longo do post “Município gaúcho de Terra de Areia diversifica economia voltando-se para o Turismo” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

No post “Município gaúcho de Terra de Areia diversifica economia voltando-se para o Turismo”, a repetição de algumas expressões, como “Município de Terra de Areia”, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.

O post “Município gaúcho de Terra de Areia diversifica economia voltando-se para o Turismo” pode apresentar erros. Se forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “Município gaúcho de Terra de Areia diversifica economia voltando-se para o Turismo” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar para ser substituída.