Roteiro de turismo de experiência em duas aldeias de nativos da etnia Parecis. Além de acompanhar o dia a dia das tribos, locais oferecem riquezas em beleza cênica. Pode-se conhecer a mais imponente cachoeira do Estado do Mato Grosso: Salto Utiariti.

 

FIT Pantanal 2016: turismo etnológico com vivências únicas em duas aldeias indígenas

 

A Feira Internacional de Turismo do Pantanal — FIT Pantanal 2016 foi palco para o lançamento de um produto realmente inovador. Trata-se do primeiro roteiro etnológico do País, compreendendo período de convívio com nativos da etnia Parecis nas aldeias Quatro Cachoeiras e Wazare. Elas ficam situadas no Município de Campo Novo dos Parecis, distante cerca de 400 quilômetros a Noroeste da capital, a cidade de Cuiabá.

— Acreditamos muito no etnoturismo. É algo fantástico! Proporciona ao turista uma experiência inesquecível, a partir da vivência com a comunidade indígena Parecis, além da contemplação da natureza exuberante daquela região. Temos certeza de que este novo produto será sucesso não só no Brasil, mas também mundo afora — afirmou, com entusiasmo, o secretário de Turismo do Estado de Mato Grosso, Luís Carlos Nigro.

De acordo com o secretário de Cultura e Turismo de Campo Novo dos Parecis, Vanderlei César Guollo, a formatação do produto surgiu de um trabalho conjunto: comunidades indígenas, Prefeitura e Fundação Nacional do Índio. “O Município está preparado para receber o turista. Com esse roteiro, oferecemos um turismo cultural sem igual ainda pelo mercado. Temos certeza: vai agradar muito, brasileiros e estrangeiros.”

 

FIT Pantanal 2016: turismo etnológico com vivências únicas em duas aldeias indígenas

O novo roteiro etnológico permite ao turista a experiência de vivenciar o dia a dia de tribos indígenas, em local com riqueza de belezas cênicas

 

O cacique Rony Azoinace, da aldeia Wazare, falou sobre desenvolvimento econômico e a questão social da comunidade. “Esse roteiro era sonho antigo, nosso. Agora, torna-se realidade. Ele permite à comunidade trabalhar sua cultura e dedicar-se à preservação da natureza. O etnoturismo propicia à nossa população uma alternativa de renda em forma sustentável, além de valorizar e difundir a riqueza de nossa história e muitas tradições.”

Já o cacique Narciso, da aldeia Quatro Cachoeiras, fez o convite para que todos visitem a comunidade. “O caminho está aberto para se visitar, conhecer a vivência indígena e a beleza da cachoeira.” Participa-se do dia a dia da comunidade inclusive podendo usar vestes nativas, cobrir o corpo com pinturas tradicionais, acompanhar a preparação dos alimentos, fazer expedições por trilhas e assistir a apresentações de cantos e de danças.

As aldeias Quatro Cachoeiras e Wazare estão em locais de grande beleza, fazendo parte da área indígena Utiariti. A primeira recebeu seu nome devido às quedas formadas no Rio Sacre. A outra está às margens do Rio Verde. Outro atrativo local é o Salto Utiariti, no Rio Papagaio, dos mais imponentes do Estado do Mato Grosso, com sua queda de 90 metros, numa depressão que, vista do alto, remete ao formato do contorno do Brasil.

 

FIT Pantanal 2016: turismo etnológico com vivências únicas em duas aldeias indígenas

Representantes de tribos indígenas estavam presentes nos estandes de diversos Municípios e, nos momentos de folga, aproveitavam os equipamentos à disposição do público no espaço voltado ao Turismo de Aventura

 


 

Matéria desenvolvida a partir dos seguintes investimentos do Governo do Estado do Mato Grosso:

 

• Participação no fampress de jornalistas brasileiros e estrangeiros, dias 16 a 19 de abril de 2016, pelos seguintes destinos do Estado do Mato Grosso: Município de Cáceres, Município de Chapada dos Guimarães, Município de Campo Novo dos Parecis, Município de Cuiabá,Município de Jaciara e Município de Nobres; e,

 

• Acompanhamento da Feira Internacional de Turismo do Pantanal — FIT Pantanal 2016, dias 20 a 24 de abril, no Centro de Eventos do Pantanal, na cidade de Cuiabá, capital do Estado.