Opções de turismo de experiência não estão reservadas apenas para operadores da iniciativa privada. E a Feira da Freguesia, iniciativa d da Prefeitura de São José, Município do Litoral do Estado de Santa Catarina, é um bom exemplo disso: eficaz, fácil, objetivo, simples… Sucesso!

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A marca do projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” resume em seu design as diversas opções à disposição dos turistas

 

O operador de um projeto como o “Turismo de Experiência: Santa Catarina em Todos os Sentidos” não precisa ser da iniciativa privada. Pode vir do setor público: autarquias, companhias de desenvolvimento, empresas estatais, Governos de Estados, Prefeituras, secretarias e sociedades de economia mista. E, também, entidades sem fins lucrativos: associação, fundação, igreja, organização não-governamental — ONG, sindicato etc.

Bom exemplo neste setor é a Feira da Freguesia, promovida pela Fundação de Cultura e Turismo, do Município de São José, na Região Metropolitana da Grande Florianópolis, a capital do Estado de Santa Catarina. Situada de frente para o braço de mar separando o continente da Ilha de Santa Catarina, a cidade guarda preciosos patrimônios cultural e físico, oriundo da colonização feita por imigrantes vindos do Arquipélago dos Açores.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Feira da Freguesia é promovida pela Fundação de Cultura e Turismo, do Município de São José, na Região Metropolitana da Grande Florianópolis, a capital do Estado de Santa Catarina

 

A Feira da Freguesia acontece todo segundo do mês, no no Centro Histórico de São José, das 11 da manhã às cinco da tarde. Atraindo visitantes de toda a região, além de trabalhar a recuperação da memória local e melhorar a autoestima da população, ajuda a desenvolver o comércio, com suas barracas oferecendo trabalhos de artesãos os mais diversos e ampliando a frequência aos bares e restaurantes existentes nas proximidades.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

Entre as atividades promovidas para as crianças estão os momentos de contação de histórias

 

Também voltada a promover a integração das comunidades vivendo próximo do Centro Histórico, a Feira da Freguesia valoriza aquele espaço, revitalizando seu uso a partir de motivos diversos. Em destaque, feirinha de artesanato, opções de gastronomia, sebo de publicações e venda de antiguidades. Em paralelo, exibições de dança, peças de teatro, shows de música e passeio guiado, conhecendo os atrativos turísticos ali existentes.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

Também está integrada às atividades da Feira da Freguesia uma vista guiada pelos principais patrimônios históricos e turísticos da cidade de São José

 

Como diz o presidente da Fundação, Carlos Eduardo Martins, “participar da Feira da Freguesia é se dar a oportunidade de curtir domingos diferentes, fugindo da rotina e mergulhando num universo de valorização do trabalho de artistas locais, de reencontro com tradições antes esquecidas, de vivências deixadas de lado devido ao burburinho da vida moderna, parecendo não sobrar tempo para nada — o que é uma grande mentira.”

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A visita à oficina de olaria tem como objetivo apresentar para os mais jovens uma das tradições mas fortes da história da cidade de São José

 

Para as crianças, então, a Feira da Freguesia no Centro Histórico de São José exibe valores inigualáveis. Tirando-as de dentro dos ambientes pasteurizados de shoppings e similares, e colocando-as ao ar livre, elas têm a oportunidade de se integrar a grupos de mágica, enriquecer momentos de contação de histórias, perder-se no universo mágico da encenação de marionetes e emocionar-se com a singeleza folclórica do boi de mamão.

E, antes de retornar para casa, uma boa opção é visitar alguns dos patrimônios históricos do Município de São José. São, principalmente, edificações erguidas no final do século XIX, anos 1800, e durante a primeira metade do século XX, anos 1900, retratando longo período de esforço dos antepassados na construção dos muitos confortos desfrutados por todos nos dias atuais. A seguir, um pequeno resumo das importância de cada uma delas.

 

Beco do Carioca

 

Um dos cenários mais marcantes da centenária e tradicional Festa do Divino Espírito Santo, é uma construção que data de 1840. O esforço dos pioneiros transformou uma simples nascente em ponto para coleta de água potável e um bem montado lavadouro de roupas para uso público. Durante décadas, foi utilizado pelas lavadeiras, escravas ou não, para lavar e enxaguar enxovais das famílias para as quais serviam ou trabalhavam.

Sua estrutura inicial, toda construída em tijolos maciços, apresentava cisterna, telhado e lavatórios, ao lado de 14 pedras utilizadas para bater a sujeira mais impregnada nos tecidos das peças, fossem estas de uso pessoal, de cama ou de banho. Durante todo o dia, homens e mulheres iam e vinham, enchendo recipientes com água para consumo próprio ou para fornecer àqueles com possibilidades de pagar pelo serviço prestado.

A estrutura passou por duas grandes reformas, alterando completamente seu desenho original. Em 1940, as 14 pedras foram substituídas por lajes de cimento com superfície ondulada, solução capaz de reduzir o esforço das lavadeiras. Na década de 1980, seu entorno foi pavimentado e ajardinado. Mesmo assim, o visual do conjunto impressiona os visitantes, trazendo à memória de todos a dureza que era a vida não faz muito tempo.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Beco da Carioca está localizado nas proximidades do Centro Histórico da cidade de São José

 

Beira-Mar

 

O complexo para lazer e prática de esportes ao ar livre denominado Beira-Mar de São José foi inaugurado não faz muito tempo, em 20 de março de 2014. Além de permitir um visual belíssimo do canal que separa o continente da Ilha de Santa Catarina, sua estrutura conta com cancha de bocha, ciclovia, equipamentos para alongamento do corpo, pista para caminhada e parque infantil, além do Centro Multiuso de São José.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O complexo de equipamentos da Beira-Mar fica unto ao canal que separa a cidade de São José da Ilha de Santa Catarina

 

Casa da Câmara e Cadeia

 

Sobrado construído em planta retangular, coberta em quatro águas, com telhas do tipo capa e canal e beiral em cimalha. Inaugurado em 1859, funcionava, originalmente, no seu piso superior, a Câmara Municipal de Vereadores e, no inferior, as celas da Cadeia Pública. Aos fundos, havia a casa do carcereiro. Arquitetura típica de construções pelo Brasil, estes sobrados eram construídos quando as vilas alcançavam foros de cidade.

Sofreu diversas alterações nestes seus mais de 150 anos de existência, mas é um dos poucos exemplares ainda com pedras de cantarias em suas aberturas. Em 1950, a Cadeia Pública foi desativada e o prédio foi ocupado pelo Arquivo Público, Cartório Eleitoral, Cartório de Registro de Imóveis, Cartório de Registro de Notas, secretarias municipais e sede da Prefeitura. Em 1999, passou a abrigar a Casa da Cultura da Cidade de São José.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Casa da Câmera e Cadeia fica na Praça Hercílio Luz, no Centro Histórico da cidade de São José

 

Casa de Comércio da Família Petry

 

Em 1909, à beira da Estrada Geral da Praia Comprida, ficou pronta a casa de comércio de estrutura térrea e de características arquitetônicas germânicas da Família Petry. Eles eram descendentes da primeira leva de imigrantes alemães, chegados em 1829. Ela foi estrategicamente localizada em ponto de parada daqueles descendo a serra, carregados de mercadorias. Isso, facilitava a venda do que traziam e a compra do que precisavam.

Esta edificação é exemplar raro na região. Quase todas as outras com características similares, e da mesma época, foram demolidas. Sua imponência é uma evidência da importância do Município de São José, tanto para a cidade de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, quanto para todo o Estado, durante o século XX. E mostra que não somente os imigrantes açorianos foram os responsáveis pelo grande progresso.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Casa de Comércio da Família Petry situa-se na Rua Constâncio Krumel 1.149 — Praia Comprida

 

Casa Gerlack

 

Das edificações antigas e tombadas pelo Patrimônio Histórico do Município de São José até hoje utilizadas como residência, a Casa Gerlack é exemplo dos mais significativos.  Ela serviu como moradia para senhora Diba Gerber, uma das parteiras mais conhecidas na cidade, numa época em que a medicina oficial era difícil e cara. Além de ajudar a trazer crianças ao mundo, dona Diba transformou os diversos aposentos numa pensão.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Casa Gerlack está próxima ao Centro Histórico da Cidade de São José

 

Casarão da Família Gerlach

 

Construção erguida a partir de uma planta retangular, tendo a sua cobertura em quatro águas, com telhas do tipo capa e canal e beiral em cimalha, sua construção se deve ao comerciante José Antônio de Pinho, entre as décadas de 1840 e 1850 do século XIX. O andar superior era destinado à residência da família. O piso inferior, ao comércio, mas, segundo alguns pesquisadores, uma parte dos espaços também serviu como senzala.

Em 1902, o polonês Gottlieb Burgastaller Gerlach compra o imóvel, cedendo salas para a paróquia instalar o Externato São Francisco de Paula. Lá, estudaram nomes ilustres, como o cardeal Dom Jaime de Barros Câmara e o doutor em Latim, professor Custódio Francisco de Campos. Sediou a Câmara dos Vereadores e a Faculdade Estácio de Sá. A partir de 2006, abriga a sede da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de São José.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Casarão da Família Gerlach fica na Rua Padre Macário 10 — Centro Histórico

 

Casarão da Família Kowalski

 

Construída com pedra e tijolos nas paredes externas e estuque nas internas, apresenta lambrequim no beiral frontal. Obra de José João Kowalski, ficou pronta em 1922, e lá residiu com a família. Kowalski foi o primeiro administrador da Usina Hidrelétrica do Maruim, função também exercida por um de seus filhos. A posse do imóvel está em disputa judicial entre a família e a Centrais Elétricas de Santa Catarina — Celesc.

Aplicação de lambrequins é comum nas casas construídas por alemães e poloneses, tornando este exemplar arquitetônico importante testemunho da presença desta etnia na colonização da cidade de São José. Acredita-se ter pinturas murais. Está localizada na antiga estrada usada pelos tropeiros, que era também caminho às colônias fundadas por imigrantes europeus durante a segunda metade do século XIX no interior do Município.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Casarão da Família Kowalski está situado na Rua Zita Altho Koerich — Sertão do Maruim

 

Casarão da Família Moreira

 

Exemplar raríssimo, possuindo dois pavimentos. O primeiro, utilizado como comércio; o segundo, para residência. Edificação elevada em relação ao nível da rua, sua base é em pedra. Escada na entrada da frente e acessos laterais. Patamar ao longo da extensão da fachada frontal. Aberturas com guilhotina em vidros de caixilho pequeno. O balcão tem guarda-corpo e balaústres, tudo em alvenaria. Sua cobertura é em telha colonial.

Construção do início do século XX, comprada em 1930 por Jáu Guedes da Fonseca, à época secretário particular de Nereu Ramos, político de grande influência, tendo sido eleito governador do Estado de Santa Catarina em 1935 e nomeado interventor em 1937, permanecendo no cargo até 1945. Também foi presidente da Caixa Econômica Federal. Devido a esta sua atividade política, era bem intensa a vida social no Casarão.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Casarão da Família Moreira está na Rua Getúlio Vargas 2.870 — Centro Histórico

 

Casarão do Clube 1º de Junho

 

Construído no último quarto do século XIX, anos 1800, tem estrutura imponente, com detalhes de diversos estilos arquitetônicos. O primeiro proprietário do qual se conhece é o major Francisco de Souza. Em 1912, ele vendeu a propriedade a Carlos Napoleão Poeta, membro do Conselho Municipal de 1890 a 1892 e chefe do Executivo de 1914 e 1918. Em 1938, Carlos Napoleão Poeta a vende ao austríaco Erdinando Josef Kunz.

Este passou a propriedade a 14 herdeiros no ano de 1957. Ficou na posse deste grupo até 1978, quando o tradicional Clube Recreativo 1º de Junho a comprou e transformou o casarão em sede da entidade. Foi utilizada com esta finalidade até o final da década de 1990. Dívidas com o Instituto Nacional da Securidade Social — INSS levaram o imóvel à penhora em 2002, e levado a leilão no inicio de 2005, arrematado pelo maior lance.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Casarão do Clube 1º de Junho está localizado na Rua Getúlio Vargas — Praia Comprida

 

Casarios

 

Conjunto de seis casas, construídas entre o final do Século XIX, anos 1800, e início do século XX, anos 1900. Construções geminadas são encontradas em todas as cidades de origem açoriana no Estado de Santa Catarina e várias são as justificativas deste estilo. Há desde fantasiosas passagens secretas para fugir de ataques vindos do mar até a mais provável: uma ligada à outra gerava maior resistência à força do ventos vindos do Sul.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O conjunto de casas conhecido como Casarios fica na Rua Getúlio Vargas — Centro Histórico da cidade de São José

 

Escola de Oleiros Joaquim Antônio de Medeiros

 

Durante todo o século XIX, anos 1800, e até meados do século XX, anos 1900, a cidade de São José foi polo produtor e exportador de peças de barro. A técnica do torno, vinda com imigrantes açorianos, difundiu-se pelo bairro de Ponta de Baixo,  tornando-se meio de subsistência de dezenas de famílias daquela localidade. O passar do tempo mudou essa realidade, com a decadência do ofício, restando poucos mestres nesta arte milenar.

Um deles foi Joaquim Antônio de Medeiros. Sua vida foi dedicada à produção de peças utilitárias — alguidares, canecas, jarros, panelas, potes, pratos…. —, abastecendo casas da região e das cidades vizinhas. Em 1992, sua oficina tornou-se a primeira Escola de Oleiros do Brasil, batizada com seu nome. Hoje, dedica-se a recuperar, valorizar e repassar uma das atividades mais tradicionais e representativas da cultura catarinense.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Escola de Oleiros Joaquim Antônio de Medeiros fica na Rua Frederico Afonso 5.545 — Ponta de Baixo

 

Igreja Irmandade Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos

 

A Irmandade de Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos de São José obteve uma licença imperial para erigir uma capela no ano de 1854. Em 1858, houve o lançamento da pedra fundamental da obra, tendo como provedor Frederico Xavier da Souza. O cemitério nos fundos teve autorização para construção em 1865, e, desde então, abriga os restos mortais dos componentes da Irmandade e de membros de várias famílias do Município.

A Irmandade é responsável por uma das mais tradicionais procissões da cidade de São José. Realizada desde 1857, translada as imagens do Senhor Bom Jesus dos Passos e Nossa Senhora das Dores da capela até as dependências da Igreja Matriz, no Centro Histórico. É composta por homens e mulheres que, durante as procissões carregam os andores com as imagens nos ombros, além de usar vestimentas apropriadas ao ritual.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Igreja da Irmandade Nosso Senhor Bom Jesus dos Passos fica na Rua Frederico Afonso 4.230 — Centro Histórico

 

Igreja Nosso Senhor do Bonfim

 

A capela do Nosso Senhor do Bonfim está localizada no alto da Rua do Bonfim, tendo sido construída entre os anos de 1851 e 1852, com ajuda de moradores do Município de São José e persistência do pároco local, padre Macário César de Alexandria e Souza. Como este era nascido na cidade de Salvador, capital do Estado da Bahia, escolheu para padroeiro da capela o mesmo Nosso Senhor do Bonfim venerados pelos irmãos baianos.

O clérigo encomendou uma cópia da imagem de Nosso Senhor do Bonfim diretamente do Estado da Bahia. A construção do templo originou à Procissão do Senhor do Bonfim pelas ruas do Centro Histórico, com a imagem transladada da capela para a Matriz todo dia 31 de dezembro, retornando dia 1º de cada ano. O interior da igreja também segue o padrão baiano, de grande riqueza, exibindo belo acervo sacro do século XIX, anos 1900.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Igreja do Nosso Senhor do Bom Fim fica na Rua Bonfim — Centro Histórico da cidade de São José

 

Igreja Matriz de São José

 

Em 26 de outubro de 1750, provisão régia criou a Paróquia de São José. Seu primeiro vigário foi o padre José Antônio da Silveira. Ele rezava missas na pequena igreja com paredes de pau a pique, construída pelos primeiros habitantes da região. Não demorou muito, esta primeira capela foi substituída por outra, de madeira. Esta deu lugar à Igreja Matriz de São José, provavelmente nos últimos anos do século XVIII, anos 1700.

Ela já existia quando, em 1° de maio de 1833, por resolução do Conselho de Governo, São José da Terra Firme foi elevada à categoria de Vila. Em 26 de outubro de 1845, mesmo com o prédio em estado lastimável, recepcionou dom Pedro II e a esposa deste, dona Tereza Cristina. Estes, sensibilizados, doaram auxílio financeiro o destinado a obras reforma da edificação. Em maio de 2014, teve concluída sua última restauração.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Igreja Matriz da cidade de São José está situada na Rua Padre Macário — Centro Histórico

 

Igreja Nossa Senhora de Fátima e Santa Filomena

 

Construída a partir de 1879, em planta retangular, com cobertura em duas águas e nave única de pequenas dimensões, é o quarto templo religioso mais antigo do Município de São José. Abriga belíssima imagem de Santa Filomena, esculpida em madeira, trazida da Itália. Tem localização privilegiada, próxima à Estrada Geral da Praia Comprida, na entrada da antiga via levando à Colônia Santana e à Colônia de São Pedro de Alcântara.

A devoção à Santa Filomena é bastante comum em comunidades de origem germânica. Isso leva a deduzir-se que sua construção dever-se, principalmente, aos imigrantes desta nacionalidade. Estes, ao longo do século XIX, anos 1800. estabeleceram-se com casas de comércio na região da Praia Comprida, negociando principalmente com os tropeiros descendo da serra para vender produtos agropecuários e comprar itens industrializados.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Igreja de Nossa Senhora de Fática e Santa Filomena fica na Rua Luiz Fagundes — Praia Comprida

 

Pier do Rio Maruim

 

O pier é parte da ponte sobre o Rio Maruim, inaugurada em 1858, em substituição a um pontilhão de madeira então existente no local. Fazia a ligação entre os atuais Município de São José, ao Norte, e Município de Palhoça, ao Sul. Ela durou mais de um século, até que, no final do ano de 1995, fortes chuvas fizeram desabar a parte da cabeceira Sul. O segmento ainda em pé, reformado e transformado em pier, tornou-se local de visitação.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Pier do Rio Maruim está situado na Rua Frederico Afonso — Ponta de Baixo

 

Sobrado da Municipalidade

 

Edificação de esquina em dois pavimentos, construída nos finais do século XIX, anos 1900. No térreo, apresenta nove portas com bandeira fixa, de vidro. No piso superior, apresenta seis janelas altas, na fachada para a Rua Homero de Miranda Gomes, e três portas protegidas por guarda-corpo, no lado para a Praça Arnoldo Souza. Registros no Arquivo Histórico ali agora instalado traduzem com fidelidade a história da construção.

Apesar de possuir esta denominação Casa da Municipalidade desde o ano de 1915, os documentos mostram o piso térreo servindo para comércio desde seus primórdios. Durante mais de 30 anos, ali funcionou um bar. O andar de cima sediou o Clube 1º de Junho, antes de abrigar departamentos da administração municipal até o ano de 2000, quando, depois de grande reforma, e tornou-se sede do Arquivo Histórico da cidade.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Sobrado da Municipalidade está na  Rua Homero de Miranda Gomes, esquina com Praça Arnoldo Souza

 

Solar dos Ferreira de Mello

 

Edificação em dois pavimentos em alvenaria mista de pedra e tijolo, erguida a partir de planta quadrada, no início do século XIX, anos 1800. Constitui relevante exemplar da arquitetura tradicional luso-brasileira ainda existente no Estado de Santa Catarina. Em 1845, na passagem de dom Pedro II e comitiva pela região, foi o local escolhido para a cerimônia do beija-mão, na qual a população demonstrava sua reverência ao imperador.

O prédio foi testemunha de acontecimentos históricos importantes para o Município de São José, o Estado de Santa Catarina e o País. Em 1893, na Revolução Federalista, foi, primeiro, sede da Guarda Nacional e, após, do Governo provisório. O Solar dos Ferreira de Mello foi a primeira edificação tombada como Patrimônio Histórico no Município de São José. Restaurado em 1984, passou a abrigar o Museu da cidade, a partir de 1988.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Solar dos Ferreira de Mello está na Rua Gaspar Neves 3.175 — Centro Histórico da cidade de São José

 

Solar dos Neves

 

O casario geminado na Rua Gaspar Neves foi construído ao longo do século XIX, anos 1900, e representa marco importante da herança cultural açoriana e portuguesa. Mantido praticamente intacto ao longo de mais de um século, conforme registros em fotografias antigas, forma, com as outras edificações existentes no entorno da Praça Hercílio Luz, o conjunto com maior valor arquitetônico e histórico de todo o Município de São José.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Solar dos Neves está localizado na Rua Gaspar Neves — Centro Histórico

 

Theatro Municipal Adolpho Mello

 

A pujança econômica gerada pela abertura da estrada ligando a capital do Estado de Santa Catarina, a Cidade de Florianópolis, à Cidade de Lages, transformou enormemente as características da diminuta Cidade de São José. O grande crescimento na arrecadação de impostos permitiu à Administração ampliar investimentos públicos. Assim, em 17 de setembro de 1854, foi lançada a pedra fundamental da construção do seu teatro.

Quase dois anos depois, em 21 de junho de 1856, mesmo dia da elevação de São José a cidade, era inaugurado o Theatro Municipal. A partir de então, o edifício passou por reformas e modificações, virou cinema, quase foi trocado por dois caminhões, mas resistiu e persiste em sua existência. Hoje, o Theatro Adolpho Mello é a mais antiga casa de espetáculos do Estado de Santa Catarina e uma das mais antigas do Brasil.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

O Theatro Municipal Adolpho Mello fica na Praça Hercílio Luz — Centro Histórico da cidade de São José

 

Usina Sertão do Maruim

 

Inaugurada em 1910, a Usina de Geração de Energia Elétrica Gustavo Richard foi a primeira instalada no Estado de Santa Catarina, e a segunda no Brasil. O complexo é composto pelo sistema de barragens e comportas no rio, calhas que conduziam a água até as turbinas e prédio que abrigava três unidades geradoras e painel de controle, além de outras três casas que serviam de sede da administração e moradia dos trabalhadores.

Durante muitos anos, a energia ali gerada abasteceu grande parte da cidade de São José e da cidade de Florianópolis, dando suporte para a implantação de muitas indústrias e, sobretudo, para a urbanização da área que, agora, é a Região Metropolitana da Grande Florianópolis. Ela permaneceu em funcionamento até meados da década de 1970, sendo desativada por tornar-se obsoleta após a construção de outras de bem maior capacidade.

 

Feira da Freguesia inclui uma iniciativa municipal em turismo de experiência

A Usina de Geração de Energia Elétrica do Maruim fica na Rua Zita Altho Koerich — Sertão do Maruim

 

Um pouco sobre os operadores do projeto Turismo de Experiência: Santa Catarina em Todos os Sentidos

 

  • A Magia do Barro

Visita à Olaria Beira Mar, conhecendo a vida e formação do oleiro, técnicas de modelagem do barro e equipamentos necessários para o desenvolvimento da arte. Passeio pelo Centro Histórico da cidade de São José, com resgate da memória a partir da descrição dos casarões antigos ao redor da Praça Hercílio Luz. Apresentação das artesãs Meninas da Terra, acompanhada de café, sucos, bolos, biscoitos, patês…

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Grupo aprende a decorar peças esculpidas em barro no ateliê das artesãs Meninas da Terra, onde também degustam uml anche com café, sucos, bolos, biscoitos, patês…

Meninas da Terra

DDD 48 — Fixo 3244-6225

facebook.com/meninasdaterra

  • Alimentação e Banho Interativo com Tartarugas

O visitante participa do ritual de alimentação e do banho das tartarugas vivendo na base doProjeto Tamar no Município de Florianópolis. Exemplares das cinco espécies que desovam no litoral do Brasil, vivem em tanques, após salvas da morte por sufocamento no processo de eclosão do ovos. Como todos os outros Centros de Visitantes do Tamar pelo País, trabalha conscientização e educação de comunidades, visitantes e pescadores.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Exemplares das cinco espécies que desovam no litoral do Brasil, vivem em tanques, após salvas da morte por sufocamento no processo de eclosão do ovos

Projeto Tamar Florianópolis

DDD 48 — Fixo 3236-2015

www.tamar.com.br

  • Ecorafting

Tudo começa com oficinas sobre fauna e flora da região da Serra do Tabuleiro. Depois, o ritual de confecção das bombas de argila misturada a sementes de espécies nativas da Mata Atlântica. A seguir, a emoção de descer as corredeiras do Rio Cubatão do Sul em barcos infláveis, passeio realizado com segurança impecável. Quase ao final do trajeto, parada estratégica, com todos bombardeando as margens desmatadas, usando estingues.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

A emoção de descer as corredeiras do Rio Cubatão do Sul em barcos infláveis, passeio realizado com segurança impecável. Quase ao final do trajeto, parada estratégica, com todos bombardeando as margens desmatadas, usando estingues

Apuana Rafting

DDD 48 — Fixo 3245-7602

www.apuamarafting.com.br

  • Entre Gingas e Histórias: a Capoeira, Patrimônio Cultural da Humanidade

Oportunidade para se vivenciar um pouco das ancestralidades africana e brasileira, através da imersão nas artes da capoeira, arte marcial genuinamente brasileira, hoje Patrimônio Cultural da Humanidade. Ao final, degustação de uma deliciosa feijoada, prato com o qual eram alimentados os escravos nas senzalas das fazendas do Brasil. Tudo isso, acontecendo numa edificação construída pelas mãos de cativos negros.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

As apresentações de capoeira acontecem em espaço especial, montado no sótão do prédio que abriga o Museu Etnográfico da cidade de Biguaçu, edificação erguida com o trabalho dos escravos

Associação Cultural Capoeira na Escola

DDD 48 — Móvel 9655-4991

www.capoeiranaescola.org.br

  • Experiência de Mergulho

Mergulho e aula sobre espécies marinhas e técnicas visuais em ambiente submerso. Escola e operadora de mergulho autônomo com qualidade e segurança certificadas pela Professional Association of Diving Instructor — PADI, maior organização do segmento em todo o mundo. Credenciada pela Handicapped Scuba Association — HSA Brasil, sendo capacitada no atendimento de pessoas com qualquer tipo de necessidade especial.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Mergulho e aula sobre espécies marinhas e técnicas visuais em ambiente submerso., em escola e operadora de mergulho autônomo com qualidade e segurança certificadas

Água Viva Mergulho

DDD 48 — Fixo 3369-9003

www.aguavivamergulho.com.br

  • Faça Você sua Caipirinha

A caipirinha nasceu como remédio para o corpo e, atualmente, é elixir para os males da alma. Apesar de ser o drinque nacional mais conhecido no exterior, e de sermos os seus maiores consumidores, poucos brasileiros sabem como preparar esta delícia. A ideia e mudar esta realidade o mais rápido possível, da maneira mais fácil que existe, com um passo-a-passo impresso, utensílios e ingredientes levados à mesa do apreciador. Saúde!

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Apesar de ser o drinque nacional mais conhecido no exterior, e de sermos os seus maiores consumidores, poucos brasileiros sabem como preparar uma caipirinha, bebida que nasceu como remédio para os males do físico e transformou-se em elixir para os problemas da alma

Restaurante Canto do Mar

DDD 48 — Fixo 3261-3006

www.restaurantecantodomar.com.br

  • História para Todos

Acompanhamento de roteiro cultural especial para surdos, tanto no Centro Histórico de Florianópolis quanto no Centro Histórico de São José. Participação especial em oficinas de montagem de abayomis, pequenas bonecas montadas com trapos de tecidos, estes bem diminutos. Herança dos açorianos, colonizadores da região, representam atores de circo, orixás, figuras do cotidiano, contos de fada e manifestações folclóricas e culturais.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Acompanhamento de roteiro cultural especial para surdos, tanto no Centro Histórico de Florianópolis quanto no Centro Histórico de São José. Participação especial em oficinas de montagem de abayomis, pequenas bonecas montadas com trapos de tecidos, estes bem diminutos

Floripa Freetour

DDD 48 — Fixo 3224-4593

História Para Todos

  • Jogos da Experiência

Sabe aquele velho prazer de um carteado bem jogado? Lembra da guerra com dados para tomar países e continentes, tornando-se dono do mundo no War? Que tal trazer de volta a alegria infantil de retirar varetas de cima das outras sem mexer nas que estão empilhadas abaixo? Tem de memória ainda os apelidos dos números da víspora? Este divertimento de brincadeiras e jogos, entre a família e grupo de amigos, está de volta.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Que tal trazer de volta a alegria infantil de retirar varetas de cima das outras sem mexer nas que estão empilhadas abaixo? Este divertimento de brincadeiras e jogos, entre a família e grupo de amigos, está de volta

Pousada Favareto

DDD 48 — Fixo 3369-2003

www.pousadafavareto.com.br

  • O Homem do Mar

Uma experiência inesquecível, a bordo de simples barcos de pescadores, participando da pesca de espécies da época, nadando em cantos secretos das muitas baías ao redor das inúmeras ilhas compondo o rico colar do Arquipélago da Ilha de Santa Catarina ou simplesmente contemplando o pôr do Sol por detrás das montanhas do continente. Um roteiro sempre surpresa, pois é definido praticamente no momento de se lançar ao mar.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Uma experiência inesquecível, a bordo de simples barcos de pescadores, participando da pesca de espécies da época, nadando em cantos secretos das muitas baías ao redor das inúmeras ilhas compondo o rico colar do Arquipélago da Ilha de Santa Catarina

Apino Turismo

DDD 48 — Fixo 3039-1404

www.apino.com.br

  • OstraXperience

Visita a uma fazenda de criação de ostras na orla do Ribeirão da Ilha. Um maricultor apresentará todo o processo de produção deste apreciado marisco, detalhando sobre os materiais necessários para o cultivo e as etapas de desenvolvimento do molusco. Após esta explanação, degustação da iguaria in natura e preparada ao bafo, harmonizada com espumantes. Possibilidade de conhecer o artesanato local e uma doceria bem tradicional.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Um maricultor apresentará todo o processo de produção deste apreciado marisco, detalhando sobre os materiais necessários para o cultivo e as etapas de desenvolvimento do molusco. Após isso, degustação desta delícia in natura ou ao bafo

Floripa Xperience

DDD 48 — Fixo 3333-4684

www.floripaxperience.com.br

  • Paladares da Décima Ilha

Roteiro no Centro Histórico de Florianópolis. Vivência no Mercado Público: box especializado em produtos orgânicos, loja de especiarias e banca de pescados. Visita à cozinha de restaurante, com oficina de preparo de prato típico da culinária açoriana. Degustação do alimento em piquenique na área de praça com vista para a Ponte Hercílio Luz, monumento tombado peloPatrimônio Histórico e Artístico Nacional — Ipham.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Visita à cozinha de restaurante, com oficina de preparo de prato típico da culinária açoriana. Degustação do alimento em piquenique na área de praça com vista para a Ponte Hercílio Luz

Restaurante Conselheiro do Paladar

DDD 48 — Fixo 3225-6111

vwww.conselheirodopaladar.com.br 

  • Ratones: Uma Experiência da Terra ao Prato

Um dia inteiro para recuperar ou aprimorar nossas capacidades de perceber elementos da natureza. Aromas da flora, sons dos animais, ruídos da água corrente… Estas coisas simples das quais nos afastamos devido à correria do dia a dia. Visita à horta orgânica, para a escolha de plantas alimentícias não convencionais — conhecidas como PANCs. Degustação de delícias surpreendentes: canapés, tira-gostos, salgadinhos e sobremesas.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Um dia inteiro para recuperar ou aprimorar nossas capacidades de perceber elementos da natureza. Aromas da flora, sons dos animais, ruídos da água corrente…

Jardim do Rancho

DDD 48 — Móvel 9972-3225

www.jardimdorancho.com.br

  • Tour das Experiências

Passeio interativo por diversos pontos da Ilha de Santa Catarina — também conhecida como Ilha da Magia. A bordo de um open top bus, o turista conhece atrativos turísticos da cidade de Florianópolis. Enquanto o veículo circula por avenidas, estradas e ruas, as narrativas de apresentação dos pontos de visitação vão sendo entremeadas por histórias e curiosidades da cultura local, e também por apresentações da criativa música nativa.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Enquanto o open top bus circula por avenidas, estradas e ruas, as narrativas de apresentação dos pontos de visitação vão sendo entremeadas por histórias e curiosidades da cultura local, e também por apresentações da criativa música nativa

By Bus Turismo

DDD 48 — Fixo 3239-8966

www.floripabybus.com.br

  • Um Dia Inesquecível

Experiência de preservação ambiental na Reserva Extrativista Marinha de Pirajubaé, na área urbana do Município de Florianópolis. Visita a um Racho de Pesca e passeio pelo mar da área protegida, conhecendo bancos de areia, manguezal e Rio Tavares, além de ida até às proximidades da Ponte Hercílio Luz. Oficina de manuseio dos apetrechos de pesca e degustação de um menu de delícias criado com peixes e moluscos típicos.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Visita a um Racho de Pesca e passeio pelo mar da área protegida, conhecendo bancos de areia, manguezal e Rio Tavares, além de ida até às proximidades da Ponte Hercílio Luz

Exoexperiências

DDD 48 — Móvel 9138-0951

www.ecoexperiencias.com.br

 

Objetivos gerais do Turismo de Experiência

 

O projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” foi criado e desenvolvido com o objetivo de incentivar e promover pequenos negócios da Região Metropolitana da Grande Florianópolis. No formato agora apresentado ao mercado, agrupa 16 operadores orientados e preparados para oferecer momentos memoráveis àqueles em busca de roteiros realmente diferenciados, capazes de fugir ao lugar comum.

O que se buscou foi a formatação de produtos capazes de atender os objetivos maiores do Turismo de Experiência, resumidos em estimular o envolvimento com comunidades locais, permitir o aprendizado de novas atividades e explorar limites dos sentidos, como conhecimento de gastronomia, integração a manifestações religiosas, participação em aventuras, brincar com folclore, envolver-se com esportes, produção de artesanato etc.

Como a modalidade do Turismo de Experiência ganha novos adeptos ano após ano, atraindo público diferenciado, mais exigente, cria-se uma miríade de oportunidades de novos negócios, capazes de serem aproveitados por empreendedores individuais, micro e pequenas empresas. Basta que estes desenvolvam produtos inovadores, baseados nas próprias histórias de vida, costumes dos habitantes, tradições locais, cultura popular…

 

Objetivos específicos do Turismo de Experiência

 

O projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” foi pensado, planejado, criado, pesquisado e desenvolvido a partir de uma inovadora parceria entre a Fundação Municipal de Cultura e Turismo do Município de São José e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina — Sebrae-SC. Esta união teve o objetivo de buscar uma solução capaz de atender os seguintes objetivos específicos:

 

  • Ampliar a participação das famílias e comunidades em atividades geradores de renda
  • Divulgar costumes, cultura, folclore, gastronomia e manifestações religiosas locais
  • Engajar as famílias e comunidades em atividades criadoras de postos de trabalho
  • Incentivar o surgimento de pequenos negócios através do Turismo de Experiência
  • Desenvolver o turismo no seu todo na Região Metropolitana da Grande Florianópolis
  • Promover as sustentabilidades ambiental e econômica do Turismo de Experiência

 

Marca do Projeto Turismo de Experiência

 

Como produto colocado no mercado, o Projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” precisava de uma marca com capacidade para destacá-lo frente à oferta já existente, de soluções excelentes de turismo tradicional. Assim, o princípio direcionador da sua concepção seguiu as características orientadoras de todo o trabalho e estão expressos pelo conjunto equilibrado de elementos gráficos da composição final.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

O princípio direcionador da concepção da marca do projeto Turismo de Experiência seguiu as características orientadoras de todo o trabalho e estão expressos pelo conjunto equilibrado de elementos gráficos da composição final

 


 

Matéria produzida a partir da participação no Press Trip Turismo de Experiência promovido peloServiço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina — Sebrae-SC, dias 2 e 3 de dezembro de 2015, na Região Metropolitana da Grande Florianópolis.