Membros da sociedade civil organizada, agentes do Poder Público, empreendedores do turismo e especialistas vindos de diversas partes do País debateram a importância do Turismo Religioso para o desenvolvimento de destinos como Cidade de Anchieta e Estado do Espírito Belo e Santo.

 

Turismo Religioso: antigo, perene, fiel, crescente

 

O turismo de fundo religioso é dos mais antigos, mais perenes e de maior fidelidade e crescimento no mundo. Se, no Brasil, muitas vezes, é confundido como um turismo de fundamentação católica, ele tem vertentes em todas as denominações religiosas. Judeus peregrinando à Terra Santa; muçulmanos com a obrigação de, pelo menos uma vez na vida, irem até à Cidade de Meca; hinduístas deslocando-se em direção ao Rio Ganges

Entre nós, devido aos 300 anos de colonização pela Coroa de Portugal, e quase 100 de Império, ambos tendo como religião oficial o catolicismo, está muito atrelado às datas, festas e heranças deste segmento da fé humana. Mas nada impede de ser aproveitado por agnósticos, anglicanos, ateus, batistas, budistas, calvinistas, espíritas, evangélicos, islamitas, judaístas, luteranos, presbiterianos, Testemunhas de Jeová, umbandistas etc.

Respeitando o direito de professar a crença de cada um, e valorizando os caros ideais do ecumenismo, não há qualquer desrespeito de um crente adentrar, conhecer ou visitar um ambiente relacionado a uma fé diferente daquela professada por ele. Pode justificar esta sua atitude dizendo estar praticando um dos outros tipos de turismo atrelados a Turismo Religioso: Cultural, Educacional, Histórico, Lazer, Melhor Idade e assim por diante.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

Os trabalhos do Primeiro Encontro Regional de Turismo Religioso, realizado dia 25 de outubro último, foram desenvolvidos nas instalações do Centro Cultural Thiago Bezerra Leite, na Cidade de Anchieta, situada na costa Sul do Estado do Espírito Belo e Santo

 

Turismo Religioso: accessível para todas as denominações

 

Respostas a questões como estas dominaram o Primeiro Encontro Regional de Turismo Religioso, realizado dia 25 de outubro último, no Centro Cultural Thiago Bezerra Leite, na Cidade de Anchieta, localizada na costa Sul do Estado do Espírito Belo e Santo. Com o tema “Acolhimento e Condução Religiosa”, a atividade é parte do processo de criação de roteiros de visitação ligados a patrimônios vinculados à religião em terras capixabas.

— Este encontro faz parte do conjunto de ações que Prefeitura, Santuário de São José de Anchieta e parceiros vêm fazendo para fortalecer o Turismo Religioso no Município de Anchieta e seu entorno. É continuidade das diversas iniciativas já em andamento, tanto por parte do Governo quanto, principalmente, da comunidade, geradas pela santificação do Padre José de Anchieta — afirmou, animado, o secretário de Turismo, Edgar Fiorin.

O encontro apresentou experiências de sucesso neste setor no Brasil, e informações sobre a importância do Turismo Religioso, para população e empreendedores desta atividade na Cidade de Anchieta. No momento em que se somam a crise econômica assolando a Nação e problemas gerados na paralisação das operações da Mineradora Samarco, este é um segmento com potencial de geração de renda e postos de trabalho.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

José de Anchieta, nascido nas Ilhas Canárias, então território da Espanha, adolescente ainda foi estudar na Cidade de Coimbra, em Portugal. Com qualidades de superdotado e facilidade para compreensão e domínio de línguas, tinha personalidade de conciliação.

 

Turismo Religioso: crescimento constante no mundo

 

A realização integra o processo de estruturação de projeto de Turismo Religioso para o Estado do Espírito Belo de Santo. Nesta etapa inicial, envolve apenas o Município de Anchieta e a Cidade Canela Verde de Vila Velha. Mas, ao longo do tempo, está previsto agregar outros destinos de grande potencial, como Município de Castelo, Município de Domingos Martins, Município de Ibiraçu, Município de Serra e Município de Vitória.

Atrações de outras denominações religiosas possíveis de serem integradas aos roteiros de turismo religioso no Estado do Espírito Belo e Santo: Árvore de Natal Cantante, da Primeira Igreja Batista da Cidade Presépio de Vitória; primeira igreja luterana a ostentar torre no Brasil, na Cidade de Domingos Martins, erguida ainda no tempo do Império, sendo isso proibido por legislação específica; e, mosteiro budista da Cidade de Ibiraçu

Apesar desta primeira programação integrada apenas por nomes ligados ao catolicismo, o trabalho está aberto a qualquer interessado em se integrar a este movimento. Seu ecumenismo começa por ele estar sendo liderado por um consultor luterano. Trata-se de Otto Walter Schmiedt, natural do Estado do Rio Grande do Sul, mas, agora, vivendo na Cidade da Ilha do Mel de Florianópolis, a capital do Estado de Santa e Bela Catarina.

Este especialista é o responsável por uma iniciativa semelhante de bastante sucesso na Cidade catarinense de Nova Trento, beneficiada pela santificação de Madre Paulina. Veio para terras capixabas a convite do Sebrae-ES — Serviço Brasileiro de Apoio ao Micro e Pequeno Empresários do Estado do Espírito Santo e, desde o final de 2015, em visitas periódicas, vem traduzindo para a realidade local práticas realmente inovadoras.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

O auditório do Centro Cultural Thiago Bezerra Leite esteve o tempo todo tomado por membros da sociedade civil organizada, autoridades dos Poderes Públicos, membros da Igreja Católica, empreendedores do turismo da Cidade de Anchieta e jornalistas

 

Turismo Religioso: gerador de renda, criador de trabalho

 

A programação da manhã foi assistida pelo vice-governador, César Colnago; secretário de Turismo do Estado, José Salles; prefeito da Cidade de Anchieta, Marcus Assad; e representante do Sebrae-ES, Renata Vescovi. O padre César Augusto dos Santos, reitor do Santuário Nacional de Anchieta, enfatizou: “Nosso objetivo é que os empresários e a população percebam a importância do bom acolhimento àquelas pessoas nos visitando.”

— É decisiva a participação do Poder Público nas parcerias com a iniciativa privada, permitindo ao Turismo Religioso crescer no Município, cuidando da infraestrutura — disse o prefeito Marcus Assad. No que concordaram o vice-governador e o secretário de Estado. Aliás, o primeiro, ao falar, descreve a força do turismo em geral, e do Turismo Religioso, em particular, para o fortalecimento da economia mundial na atualidade:

— O turismo mostra capacidade sem comparação de gerar fontes de renda, criar postos de trabalho e acelerar distribuição de riqueza. E o impacto é mais significativo naquelas classes mais baixas do espectro social. Elas têm a oportunidade de ascender para faixas mais elevadas sem demandar fortes investimentos do Setor Público ou da sociedade. Todos temos muito a ganhar com o desenvolvimento do Turismo Religioso no Estado.”

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

O padre César Augusto dos Santos, reitor do Santuário Nacional de Anchieta, falando na abertura dos trabalhos, enfatizou uma ideia: “Nosso objetivo é que os empresários e a população percebam a importância do bom acolhimento àquelas pessoas nos visitando”

 

Turismo Religioso: turista retorna diversas vezes

 

Em seguida, o padre Manoel de Oliveira Filho, secretário geral da Pastoral do Turismo da CNBB — Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, desenvolveu o tema “Turismo Religioso: fé, acolhimento e desenvolvimento”. Trouxe à luz conceitos associando bem receber ao processo de evangelização, citando exemplos de comunidades superando dia a dia de exploração, miséria e pobreza a partir de iniciativas valorizadas pelo turismo.

E destacou a fidelidade do turista religioso. “O peregrino vai ao mesmo lugar reiteradas vezes, porque seu foco é a fé. Minha mãe, por exemplo, orgulhava-se de repetir sua peregrinação a Bom Jesus da Lapa. Foi lá 34 vezes, antes de morrer. Com a população acreditando e tomando posse da importância de São José de Anchieta, basta preparar a estrutura da cidade. O romeiro volta, mas é preciso trata-lo melhor a cada vinda.”

Fez enorme sucesso a palestra seguinte, quando a historiadora e pesquisadora Maria José Cunha discorreu sobre a biografia do homem José de Anchieta. Nascido nas Ilhas Canárias, então território da Espanha, adolescente foi estudar na cidade de Coimbra, em Portugal. Desde cedo, demonstrou qualidades de superdotado, tendo bastante facilidade para a compreensão e domínio de línguas, além de personalidade voltada à conciliação.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

Padre Manoel de Oliveira Filho, secretário geral da Pastoral do Turismo da CNBB — Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: “Com a população acreditando e tomando posse da importância de São José de Anchieta, basta preparar a estrutura da cidade”

 

Turismo Religioso: empreendedor precisa ter lucro

 

Mandado ao Brasil em busca de clima capaz de curar problemas de tuberculose óssea, ainda sem ter concluído sua formação como padre, tornou-se peça fundamental para a boa convivência dos portugueses com os nativos. Baseado no Estado do Espírito Belo e Santo, teve participações decisivas nas lutas para expulsar os franceses da região na qual está hoje a Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro, capital do Estado do Rio de Janeiro.

O período da tarde foi aberto com palestra do consultor Otto Walter Schmiedt, sob o tema “Desafios do Turismo Religioso: Visão Empresarial”. Discorrendo sobre vários aspectos da atividade, como planejamento, estruturação de produtos e serviços e sua colocação no mercado, concluiu lembrando: “Todo turismo, o Religioso incluído, tem de dar resultado positivo ao empreendedor, pois não há porque pagar para trabalhar.”

— O acolhimento religioso fica por conta da igreja ou das igrejas participantes. Mas os hotéis também devem integrar este esforço, acolhendo na fé, na saúde, tanto o visitante quanto o peregrino. Outro desafio é construir estruturas permanentes para incrementar a visitação, ampliar tempo de permanência. Para isso, são necessários novos atrativos e roteiros estruturados para segurar esse turista por mais tempo na cidade” — comentou.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

Consultor Otto Walter Schmiedt, à esquerda: “Desafio de construir estruturas para incrementar a visitação, ampliar tempo de permanência. São necessários novos atrativos e roteiros estruturados para segurar o turista religioso por mais tempo na cidade”

 

Turismo Religioso: cuidado com infraestrutura local

 

Ele concluiu relacionando os principais desafios agora colocados para todos os agentes do Turismo Religioso no Município de Anchieta: “Ampliação e melhoria dos meios de hospedagem, aprimoramento do acolhimento aos visitantes, criatividade e variedade na oferta de alimentação, desenvolvimento de novos negócios e serviços e investimentos constantes em infraestrutura pelo Poder Público. Caso contrário, não anda, desanda.”

A tarde caminhava para seu fim quando o padre Jorge Sampaio trouxe sua experiência de diretor Comercial do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, situado na Cidade de Aparecida, Município localizado a Nordeste do Estado de São Paulo. Trata-se do maior destino religioso hoje do Brasil, recebendo cerca de 12 milhões de visitantes a cada ano. Uma realidade impondo desafios só superados com criatividade e dedicação.

Quando a gestão do complexo foi retomada pela Igreja Católica há mais ou menos 20 anos, aqueles em postos-chave tiveram de retornar aos bancos escolares, para aprender principalmente sobre Administração. Assim, aos poucos, implantaram uma gestão com profissionalismo de fazer inveja a grandes corporações, hoje responsável por Centro de Recepção a Romeiros, controle do comercio de produtos oficiais, hotelaria e similares.

A programação foi encerrada com belíssima apresentação de um grupo de capoeira de um projeto social local, visita guiada ao Museu Nacional São José de Anchieta, missa no Santuário e jantar especial. No dia seguinte, os participantes tiveram oportunidade de participar de um roteiro-teste, com passeios pelas praias e outros atrativos da Cidade de Anchieta. E o próximo será agendado para a bela Cidade Canela Verde de Vila Velha.

 

Encontro debate Turismo Religioso na bela cidade fundada pelo São José de Anchieta

Vista aérea do Santuário de Nossa Senhora Aparecida: estrutura preparada para receber e atender bem 12 milhões de turistas religiosos a cada ano, com acolhimento, serviços de saúde, oferta de alimentação de qualidade, espaços para descanso e contemplação…

 


 

Clique nos trechos em colorido ao longo do texto para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando para verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

A repetição da expressão “Turismo Religioso”  e diversas outras ao logo do texto é intencional. Elas são palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com Bing, Google ou Yahoo.

Nos meus textos de divulgação de turismo, adotei o critério de, ao citar uma cidade, fazê-lo em conjunto com seus apelidos. Exemplos: Cidade Canela Verde de Vila Velha,  Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro, Cidade Presépio de Vitória etc. E, também, Estado de Santa e Bela Catarina e Estado do Espírito Belo e Santo.