Evento surgiu em 1980. Nestes seus quase 40 anos de existência, contribui para colocar o Município no mapa do mundo. Realização, atraindo milhares de visitantes para a cidade, movimenta a economia a partir de atividade de turismo desenvolvida de modo sustentável.

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

 

Cidade de Cáceres: pesca impulsiona turismo

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

O Festival Internacional de Pesca Esportiva acontece todos os anos, no início de mês de junho, no trecho do Rio Paraguai que corta a Cidade Princesinha do Pantanal de Cáceres, situada no extremo Sudoeste do Estado do Mato Grosso, na fronteira com a Bolívia

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

O Festival Internacional de Pesca Esportiva detém o recorde de maior competição do mundo na modalidade embarcada, título conferido e mantido pelo Guinness Book desde 1992, e, por isso, a cada ano, atrai mais e mais pescadores de todo o Brasil e do exterior

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

Dada a partida, os competidores usando embarcações movida a motor voam sobre as águas do Rio Paraguai, em busca das melhores posições para capturar peixes capazes de dar a eles o título de campeão, prestígio entre seus pares e excelentes premiações em dinheiro

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

A Categoria Infantil e Juvenil foi incorporada ao Festival Internacional de Pesca Esportiva em 1982, quatro anos antes da Categoria Feminina. Sempre muito animada, prepara futuros campeões no esporte quanto na vida, pois contribui na formação de cidadãos conscientes

 

Cidade de Cáceres é sede do maior torneio de pesca embarcada em todo o mundo

A mais sustentável categoria do Festival Internacional de Pesca Esportiva é a dos barcos impulsionados a remo. Com agressão mínima ao meio ambiente, a pressa é deixada de lado, com todos integrando-se com os sons da natureza: água correndo, pássaros cantando…

 

Cidade de Cáceres: pesca como atrativo

 

O Brasil tem oito mil quilômetros de litoral com o Oceano Atlântico. O maior rio do mundo em volume d’água, e segundo em extensão, corta toda a sua Região Norte, e há outros tão portentosos quanto, lá mesmo, pelo Nordeste, Sudeste e Sul do País. O território brasileiro abriga lagoas de dimensões monumentais e um sem número de imensas reservas formadas pelas hidrelétricas. Ou seja: locais para competições de pesca não faltam por todo este País.

No entanto, nenhum destes colossos sedia uma recordista internacional em dois aspectos: o maior campeonato de pesca embarcada, segundo o Guinness Book, e o maior de pesca em canoa movida a remo, conforme o Ranking Brasil. Trata-se do Festival Internacional de Pesca Esportiva, realizado há quase 40 anos no trecho do Rio Paraguai que passa pela Cidade Princesinha do Pantanal de Cáceres, situada a Sudoeste do Estado do Mato Grosso.

O evento foi criado em 1980 por um pequeno grupo de pessoas com um amor em comum: pescar. E a consciência da necessidade de chamar a atenção de todos para a necessidade de se preservar o Rio Paraguai e todos os seus afluentes. Naquela oportunidade, reuniu apenas 42 competidores, todos do sexo masculino. Sabe como é que é: naquela época, mulheres não tinham dom para a pescaria. No máximo, torciam por maridos, noivos, namorados…

 

Cidade de Cáceres: conhecida no mundo todo

 

Muita gente apostou que o torneio não vingava: poucos interessados. Erraram feio! No ano seguinte, 1981, participaram 72. Em 1982, houve um salto significativo: 246. Ajudou muito ter sido criada a Categoria Infantil e Juvenil. A Categoria Feminina foi incorporada quatro anos mais tarde, em 1986. Mas teve presença ínfima: apenas 1,5% do total de inscritos. De todo modo, o torneio havia se consolidado. E começou a atrair pessoas de fora da região.

Primeiro, vieram dos Municípios limítrofes; depois, de todo o Estado do Mato Grosso; em seguida, de diversos pontos do Brasil; por fim, começaram a aparecer aficionados de todo o mundo. A festa, deixando de ter caráter apenas local, avançou para o estadual, ampliou para nacional e se firmou como internacional. Quem diria, hein? Uma localidade desconhecida, escondida no Centro-Oeste, de repente, é falada, comentada, elogiada em todo o planeta.

 

Cidade de Cáceres: maior torneio do planeta

 

Em 1992, já batizado como Festival Internacional de Pesca Esportiva, o Guinness Book firmou aquele seu parecer, mantido ano a ano, pois a volume de inscritos cresce sem parar. Pioneiro entre os diversos torneios do gênero, fez escola e agora é modelo de dezenas de similares, em vários continentes. E, além dos milhares de aficionados pelo esporte, atrai cinegrafistas, fotógrafos e jornalistas dos principais veículos de comunicação da Terra.

E não é só de mídia especializada, não! Além dela, é claro!, tomam a Cidade Princesinha do Pantanal de Cáceres profissionais de jornais, revistas, rádios, tevês e Web de todas as especialidades: aventura, entrevistas, esporte, gastronomia, história, notícias em geral, turismo, serviços e assim por diante. E juntam-se aos milhares de turistas inundando casas de amigos e parentes, hotéis e pousadas, invadindo ruas, ocupando bares e restaurantes…

Ou seja: sucesso completo! Se lá nos anos 1980 o Município vivia só de pecuária, agora é polo de ecoturismo, turismo de aventura, turismo de lazer e turismo de negócios. E está despontando firmemente no que pode ser definido como turismo de gastronomia exótica. Isso graças ao sucesso da criação do jacaré-do-Pantanal em cativeiro e a presença cada vez mais comum da carne do réptil em criações de badalados chefs de cozinha daqui e de fora.

 

Cidade de Cáceres: modelo Pesque e Solte

 

A trajetória de crescimento, organização e profissionalização do Festival Internacional de Pesca Esportivo contribuiu muito para isso. Desde 1997, adotou-se o modelo do Pesque e Solte na Categoria de Pesca Embarcada e na Categoria Infantil e Juvenil. Aliás, esta última teve novo aprimoramento no ano seguinte, 1998, quando, devido à segurança dos menores e à preocupação ambiental, a Coordenação do Festival decidiu adotar anzóis sem farpas.

Assim, o Festival Internacional de Pesca Esportiva da Cidade Princesinha do Pantanal de Cáceres adentrou o Século XXI, anos 2000, como bem mais do que um simples torneio de pesca e pescadores. E transformou-se numa grande festa, incorporando grandes shows de música ao vivo, oficinas de arte, Feira de Artesanato, Feira de Artes Plásticas e das mais importantes e significativas Feiras da Indústria Náutica realizadas no interior do Brasil.

Cada edição da realização injeta milhões de reais em negócios sediados no Município: abastecimento de veículos, compras de lembranças, contratação de serviços, diárias de hospedagem, gastos com alimentação e por aí vai. Do mais simples ao bem sofisticado, há criação de postos de trabalho, geração de renda e distribuição de riqueza sem qualquer intermediação do Governo, como só o turismo de forma sustentável é capaz de produzir.

 


 

 

Matéria desenvolvida a partir dos seguintes investimentos do Governo do Estado do Mato Grosso:

• Participação no fampress de jornalistas brasileiros e estrangeiros, dias 16 a 19 de abril de 2016, pelos seguintes destinos do Estado do Mato Grosso: Município de Cáceres, Município de Chapada dos Guimarães, Município de Campo Novo dos Parecis, Município de Cuiabá,Município de Jaciara e Município de Nobres; e,

• Acompanhamento da Feira Internacional de Turismo do Pantanal — FIT Pantanal 2016, dias 20 a 24 de abril, no Centro de Eventos do Pantanal, na Cidade Verde de Cuiabá, capital do Estado.