Grupo reúne receptivo qualificado e quatro hotéis de categoria top, além de parcerias com complexo de diversões e cabana de praia na Vila de Trancoso. Apresenta-se como maior da América Latina por movimentar em torno de 3.000 passageiros por semana, durante baixa estação. Acessibilidade e sustentabilidade são focos prioritários.

 

AR Hotéis e Receptivo: colaboradores voltados a atender bem

 

— Eu tenho orgulho em trabalhar na empresa.

Essa afirmação de Débora Vertullo, supervisora de Vendas, confirmou minha impressão pessoal sobre o ambiente de trabalho existente no Grupo AR Hotéis e Receptivo. Isso, após conviver um tempo com alguns membros da sua equipe de colaboradores: guias, motoristas, recepcionistas etc.

Aconteceu durante a programação do Encontro Brasileiro de Agentes de Viagens — Enbrav, em uma das suas edições de 2019. Esta, na Cidade de Porto Seguro, forte ícone na atração de turistas situado no belo Litoral Sul do Estado da Bahia, mais conhecido como Costa do Descobrimento.

Além de encontrar todos, sempre, com sorrisos nos rostos, era nítida a disposição de atender bem, responder às perguntas, esclarecer dúvidas, solucionar problemas. E descobrir vários deles com largo tempo de casa — 10 anos, 20 anos… —, expressando satisfação pelo ambiente de atuação.

Claro! Sei perfeitamente da realidade, do dia a dia, não ser um céu de brigadeiro. Há problemas como em qualquer outro grupo de seres humanos. Mas chama atenção a vontade de acertar, fazer o melhor, atender bem em todos os níveis, indo do chão de fábrica aso mais alto nível de gestão.

 

Surpreendeu o ambiente de trabalho visto no Grupo AR Hotéis e Receptivo: além de encontrar todos, sempre, com sorriso no rosto, era nítida a disposição de atender bem, responder perguntas, esclarecer dúvidas, solucionar problemas. E vários deles com largo tempo de casa: 10, 20 anos…

 

AR Hotéis e Receptivo: receptivo qualificado, hospedagem top

 

Para saber mais sobre a história desse conjunto de empresas singulares — formado por receptivo qualificado e quatro hotéis de categorias top, além de parcerias com um complexo de diversões e uma cabana de praia na Vila de Trancoso —, entrevistei longamente o colaborador mais antigo.

Ele, simplesmente, tem mais de três décadas de empresa. Poderia estar aposentado, mas segue contribuindo com desmedida atenção, enorme bom humor, imensurável simpatia e monumental experiência na perpetuação desse fortíssimo clima positivo existente pelo interior do Grupo AR.

Citando seu nome, Wilson Roberto Chaccur, não passa de completo desconhecido descendente de libaneses. Mas, revelando seu apelido, praticamente todos pelo Sul do Estado da Bahia sabem quem é: Geleia. Afinal, caminha para completar seu primeiro meio século como guia de Turismo.

Alguns chegam a dizer, jocosamente: “Ele chegou aqui como passageiro das caravelas de Pedro Álvares Cabral.” Fazem essa afirmação para expressar a admiração por sua profunda contribuição para a profissionalização dos serviços do Turismo atualmente oferecidos em toda aquela região.

— Concordo! Sou da época do Turismo da pedra lascada. Aliás, nem pedra havia. Estradas e ruas não tinham calçamento. Era pé no chão. Se chovia, algumas vezes, os grupos tinham de saltar dos veículos e ajudar a gente a tirar os carros dos atoleiros, até sujando-se de lama. Mas era divertido.

 

Wilson Roberto Chaccura, o Geleia, com mais de três décadas na AR Hotéis e Receptivo, segue contribuindo com desmedida atenção, enorme bom humor, imensurável simpatia e monumental experiência na perpetuação do fortíssimo clima positivo expresso pelos colaboradores da empresa

 

AR Hotéis e Receptivo: origem após modernização do Turismo

 

Até meados da década de 1970, a rodovia BR 101 tinha asfalto apenas na parte Sul. Ele ia até a frente do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, na Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo. A partir dali, até o litoral do Estado do Rio Grande do Norte, buracos, lama, poeira etc.

Minto. Havia um trecho de 60 quilômetros em situação similar, entre a Cidade de Campos dos Goytacazes, no Norte do Estado do Rio de Janeiro, e o Rio Itabapoana, divisa geográfica entre o território fluminense e o território capixaba. Ele só recebeu capeamento naquele mesmo período.

— A melhoria da infraestrutura urbana, com instalação de redes para águas pluviais, calçamento de ruas, canalização de esgotos, tratamento de resíduos líquidos, distribuição de água tratada e outros benefícios são bem recentes. Tudo começou lá pelos primeiros anos da década de 1980.

Naquela época, a Cidade de Porto Seguro era um paraíso onde viviam somente pescadores — assim como o Arraial d’Ajuda e a Vila de Trancoso. Começou a ser descoberta pelo resto do País como destino de hippies: não buscavam confortos burgueses, e sim contato com a Natureza.

Na maior parte vindos do Sul e do Sudeste brasileiros, chegavam lá após dia e dias de aventuras pelas estradas. Viajavam de carona, oferecida pelos pouquíssimos caminhoneiros enfrentando a solidão daqueles caminhos. Não era raro cumprir os quilômetros finais em longas caminhadas.

 

Até o final da década de 1970, a Cidade de Porto Seguro era um paraíso habitado por pescadores — assim como o Arraial d’Ajuda e a Vila de Trancoso. Começou a ser descoberta pelo resto do País como destino de hippies: não buscavam confortos burgueses, e sim contato com a Natureza

 

AR Hotéis e Receptivo: artistas, celebridades, endinheirados…

 

Antes de seguir, pequeno parêntesis: Arraial da Ajuda e Vila de Trancoso também se tornaram destinos de artistas, celebridades e endinheirados. Gente com capacidade de chegar até lá usando avião particular, jato executivo, táxi-aéreo, pousando em pistas de fazendas pelas proximidades.

Junto com a fama veio um estigma, descrevendo a Cidade de Porto Seguro como local onde uma multidão ficava o tempo todo bebendo, dançando, fazendo arruaça. Exemplo disso é a imagem da Passarela do Álcool, então trilha de terra batida, separando a praia do paredão de casarios antigos.

— O apelido é anterior ao Turismo. Tem origem na época da Colonização Portuguesa. Era a rota pela qual se transportava álcool produzido num engenho instalado à foz do Rio Buranhém, limite Sul da Cidade de Porto Seguro. As carroças passavam, deixando aquele odor característico no ar.

Como os visitantes hospedavam-se, em maioria, junto ao Centro Histórico, ao final das tardes e início das noites concentravam-se naquele espaço, de frente para o mar. Eram momentos de confraternização e consumo de bebida — inclusive um drinque inventado lá, chamado de Capeta.

Logo, a denominação histórica estava associada àquela conotação negativa. Há algum tempo, as administrações do Turismo do Estado da Bahia e da Cidade de Porto Seguro deram início a um trabalho para mudar essa concepção, passando então a referir-se à Passarela do Descobrimento.

 

Se a Cidade de Porto Seguro atraía um Turismo popular, Arraial da Ajuda e Vila de Trancoso se tornaram destinos de artistas, celebridades e endinheirados. Gente com capacidade de chegar lá em avião particular, jato executivo, táxi-aéreo, pousando em pistas de fazendas das proximidades

 

AR Hotéis e Receptivo: chegada do asfalto populariza o Turismo

 

Chegando o asfalto, a popularidade adquirida pela região, como destino de Natureza, atraiu seus primeiros turistas. Muitos vinham em seus próprios carros, mas, a maioria, usando ônibus. Foi o período das excursões chamadas de “marias-tours”. Hospedagem, passeios, tudo era improvisado.

Logo, grandes operadores de Turismo da época interessarem-se pelo produto. Surgiram, então, os pacotes profissionais: viagens em ônibus confortáveis, contratação de hotelaria mais qualificada, grades de passeios definida com antecedência, acompanhamento por guias de Turismo locais…

Uma marca crescendo no mercado não deixou passar em branco aquela oportunidade. A CVC estruturou operação, tudo sob cuidados deles — viagens, receptivos, hospedagens, passeios, alimentações… — a partir da matriz, na Cidade de São Paulo, capital do Estado de São Paulo.

Tão logo o produto se consolidou, os sócios da empresa, Guilherme Paulus e Walter Patriani, buscaram um empreendedor local, capaz de carregar aquelas responsabilidades. Alguém até mesmo fora do setor, mas de nome respeitado, pois iria assumir a terceirização por completo.

— Eles ofereceram o negócio ao Adriano Rodrigues, empresário de sucesso no segmento de distribuição de alimentos industrializados, como embutidos e frios. Também comercializava veículos especiais, customizados — hoje, dizemos tunados — e tinha um posto de combustíveis.

O Adriano Rodrigues topou a empreitada, pedindo prazo para construir um hotel num terreno de sua propriedade, no Centro da Cidade de Porto Seguro. Enquanto a obra avançava, fundou a AR Receptivo e Hotéis, montou equipe, foi apreendendo como esse negócio do Turismo funcionava.

 

O empresário Adriano Rodrigues topou representar a CVC na Cidade de Porto Seguro e pediu prazo para construir seu Hotel Casablanca. Enquanto a obra avançava, fundou a AR Receptivo e Hotéis, montou equipe e foi aprendendo como esse negócio do Turismo realmente funcionava

 

AR Hotéis e Receptivo: propaganda boca-a-boca impulsiona parceria

 

Concluído o Hotel Casa Blanca, padrão três estrelas, 35 apartamentos, assumiu as operações em sua totalidade. Como chegavam poucos grupos a cada semana, criava-se mais intimidade entre todos os envolvidos. E a programação era encerrada com uma festa de despedida, sábado à noite.

— Entrei na AR um ano depois dela ter iniciado. Digo, com saudade: fazíamos as coisas de modo artesanal, mas funcionava maravilhosamente. A confraternização final coroava de êxito a semana de atividades a serem lembradas para sempre. Todos manifestavam desejos de retornar em breve.

Ao retornarem a seus lares, os participantes descreviam a familiares, amigos, colegas de escola, companheiros de trabalho, conhecidos e todas as pessoas dos seus relacionamentos os momentos vividos entre as belezas da Cidade de Porto Seguro e dos outros atrativos espalhados pela região.

A propaganda boca-a-boca dos clientes foi decisiva para o sucesso da parceria CVC e AR. Com a procura crescendo ano a ano, logo estavam prontos o Adriático Porto Hotel e o Casa Blanca Park Hotel, ambos, também, no Centro da cidade — a expansão para a praia não havia sido iniciada.

 

A propaganda boca-a-boca dos clientes foi decisiva para o sucesso da parceria CVC e AR. Com a procura crescendo ano a ano, logo estavam prontos o Adriático Porto Hotel e o Casa Blanca Park Hotel, ambos, também, no Centro da cidade — a expansão para a praia não havia sido iniciada

 

AR Hotéis e Receptivo: novo Aeroporto de Porto Seguro

 

Um entrave sério impedia a ampliação dos mercados: deslocamentos rodoviários. Os Estados do Sul, do Centro-Oeste e do Norte estão muito distantes — Nordeste nunca foi prioritário, porque lá eles também têm praias e Sol o ano inteiro. Passava da hora de trazer os grupos por via aérea.

Na época, o Aeroporto da Cidade de Porto Seguro só recebia aviões pequenos. A antiga Rio-Sul Serviços Aéreos Regionais tinha voos, com Fokker 50, de 50 passageiros. Era pouco. O modal aéreo seria competitivo com pelo menos o dobro. Então, voltaram vistas para a Cidade de Ilhéus.

Até hoje, é o maior e mais importante conglomerado urbano situado no litoral Sul do Estado da Bahia. Além da forte ligação com a cultura do cacau, através de seu porto marítimo é exportada a parte da produção agrícola do Centro-Oeste baiano — e também recebe mercadorias do exterior.

O aeroporto de lá recebia aviões grandes. A CVC buscou parceria no segmento e fechou acordo com a antiga TAM. Como, aos domingos, o volume de voos nacionais era reduzido, notadamente os da Ponte Aérea Rio-São Paulo, usaria aquele dia e seus Fokker 100 para trazer e levar grupos.

— São 350 quilômetros de estrada. Eram, pelo menos, cinco horas de viagem. Mas tinha um lado positivo. Permitia a gente conviver mais com os passageiros, conhecendo-os. Nos deslocamentos para passeios, já tínhamos ideias dos gostos de cada um. Isso ajudava muito o nosso atendimento.

Essa maratona foi de 1986 a 1989. Findou com o Aeroporto da Cidade de Porto Seguro ampliado. O primeiro avião grande a pousar foi um Boeing 737, da Rio-Sul. A CVC e a TAM transferiram pousos e decolagens, com redução de custos para operadora, transportadora e, claro!, passageiro.

 

A maratona de buscar e levar passageiros até o Aeroporto da Cidade de Ilhéus durou de 1986 a 1989. Com o Aeroporto da Cidade de Porto Seguro ampliado, a CVC e a TAM transferiram pousos e decolagens, com redução de custos para operadora, transportadora e, claro!, turistas

 

AR Hotéis e Receptivo: Turismo cresce em projeção geométrica

 

Daí em diante, o crescimento seguiu proporção geométrica. A hotelaria expandiu-se para o Norte, ao longo da praia, com empreendimentos essencialmente horizontais, espaçosos. A ocupação da faixa de areia foi organizada, com a instalação de grandes complexos especializados em diversão.

A oferta de passeios profissionalizou-se, com roteiros diversos, focando as riquezas culturais e naturais da região: aldeia de nativos, Arraial da Ajuda, artesanato, Carnaval, Centro Histórico, estuários dos rios, festas populares, manguezais, colar de praias, Vila de Trancoso e por aí vai.

— A equipe de colaboradores da AR nesses primórdios ajudou a profissionalização da atividade. Não havia cursos, experientes ensinavam novos. A empresa, exigindo parâmetros elevados, levou à qualificação. Muitos estão no mercado. Outros, empreenderam, alcançado sucesso na atividade.

Os anos 1990 foram marcados por outro forte indutor do crescimento do Turismo na região da Cidade de Porto Seguro. Veio com o sucesso de um estilo musical, a Lambada, do Norte do Brasil mas definitivamente associada ao litoral Sul do Estado da Bahia, na Costa do Descobrimento.

 

A partir do início dos anos 1990, o crescimento do Turismo na Cidade de Porto Seguro seguiu proporção geométrica. A hotelaria expandiu-se por empreendimentos horizontais, espaçosos. A ocupação da faixa de areia foi organizada, com instalação de complexos voltados à diversão

 

AR Hotéis e Receptivo: hotéis ao longo da praia, para o Norte

 

Aos poucos, a AR Hotéis e Receptivo arrendou seus empreendimentos pelo Centro da cidade, incorporando endereços ao longo da faixa de mar estendendo-se em direção à enseada da Coroa Vermelha, espaço no qual foi rezada a primeira missa, após a chegada dos portugueses ao Brasil.

Um deles é o Porto das Naus Praia Hotel, na Praia de Taperapuan, a mais badalada da Cidade de Porto Seguro, junto ao Complexo de Lazer Toa-Toa. Tem 130 excelentes acomodações unem-se a academia, bar, piscina adulto, piscina infantil, restaurante, salão de jogos, sauna mista etc., etc.

Outro é o Bosque do Porto Praia Hotel, próximo do Porto das Naus Praia Hotel, com 130 suítes, com vistas para bosque particular ou o conjunto de piscinas. Oferece todos os itens de conforto e disponibiliza bar da piscina, campo de futebol, espaço de minigolfe, playground, restaurante…

Outro ainda é o Hotel Coroa Vermelha Beach All Inclusive, de frente para a belíssima Praia do Mutá, próxima à enseada da Coroa Vermelha. Seus 122 amplos apartamentos estão cercados por área verde, piscinas, centro de massagens, barraca de praia exclusiva e muitos outros confortos.

Por fim, mas na direção oposta, o Sul, está o Hotel Pousada Estação Santa Fé, estilo boutique, em Arraial d’Ajuda. Suas acomodações, extremamente confortáveis, têm decorações individuais. Ele está junto à praia e próximo ao Centro Histórico, com infinidade de lojas, bares e restaurantes.

 

Hotel Coroa Vermelha Beach All Inclusive, de frente para a belíssima Praia do Mutá, próxima à enseada da Coroa Vermelha. Seus 122 amplos apartamentos estão cercados por ampla área verde, piscinas, centro de massagens, barraca de praia exclusiva e muitos outros confortos exclusivos

 

AR Hotéis e Receptivo: empresa em busca de evolução constante

 

Mesmo já consolidada no mercado, tendo seu trabalho de qualidade reconhecido e respeitado tanto dentro do País quanto fora dele, nos últimos anos a AR Hotéis e Receptivo tem investido no aprimoramento e aperfeiçoamento de sua equipe de colaboradores e sua estrutura de serviços.

— Nossos transferes de chegada, relacionados a passeios e de partida são realizados por cerca de 100 vans e ônibus especiais, em maioria próprios, com ar condicionado e wi-fi. A frota, em renovação constante, vem migrando para unidades dotadas dos mais sistemas de acessibilidade.

Aliás, isso também é oferecido em todos os hotéis, permitindo acesso a qualquer dependência, principalmente apartamentos adaptados. O mesmo acontece nos serviços disponíveis nas praias e nos passeios, com equipes preparadas para acompanhamento mesmo em atividades mais radicais.

— Outra preocupação forte dentro do grupo AR Hotéis e Receptivo está voltado às ações de sustentabilidade. Há uma preocupação constante em sempre se fazer cada vez mais com cada vez menos, reduzindo consumo de matéria prima, reaproveitando água e reciclando o mais possível.

Por exemplo: os veículos só circulam em perfeitas condições mecânicas, com motores regulados, de modo a emitir o mínimo necessário de dióxido de Carbono na atmosfera. E todo o óleo usado como lubrificante é armazenado corretamente, sendo depois enviado para seu reaproveitamento.

O conjunto de edificações, incluindo instalações administrativas, galpões de oficinas e os quatro hotéis, já produzem praticamente toda a energia elétrica consumida em suas operações. Água de chuvas são armazenadas e utilizadas na limpeza de pisos e para regar gramados, jardins e plantas.

— Resíduos de coco verde também têm destinos apropriados: a polpa vai para uma indústria de cosméticos; as cascas vão para caldeiras e fornos. Mas, sabemos: ainda estamos engatinhando em termos de sustentabilidade, e precisamos fazer mais. Esse é um objetivo cada vez mais presente.

 

Mesmo já consolidada no mercado, tendo seu trabalho de qualidade reconhecido e respeitado tanto dentro do País quanto fora dele, nos últimos anos a AR Hotéis e Receptivo tem investido no aprimoramento e aperfeiçoamento de sua equipe de colaboradores e sua estrutura de serviços

 

AR Hotéis e Receptivo: empenho compensa perda do fundador

 

As equipes da AR Hotéis e Receptivo também se envolvem com ações sociais. Há atividades dirigidas à comunidade em geral e, especialmente, a estudantes da rede pública de ensino da Cidade de Porto Seguro, levando-os, principalmente, a conhecer os atrativos de valor histórico.

Infelizmente, tudo isso não é mais acompanhado pelo fundador Adriano Rodrigues. Ele, após se desfazer dos negócios de distribuição de alimentos e revenda de veículos — deixando seu filho, Alexandre Rodrigues, à frente da rede de postos de combustíveis — voltou-se 100% ao Turismo.

Entretanto, acabou falecendo tragicamente, num acidente de helicóptero, em abril de 2010. A AR Hotéis e Receptivo, agora às mãos do filho e da filha Adriana Rodrigues, passou a contar com a experiência do executivo Alessandro Binatti, com muitos anos de vivência no segmento.

Essa formatação tem demonstrado sucesso, pois o conjunto de empresas vem mantendo-se em ritmo de crescimento, mesmo diante das crises vividas pelo País na última década. Há grandes perspectivas para o crescimento da visitação na Costa do Descobrimentos para os próximos anos.

 

O fundador, Adriano Rodrigues, faleceu tragicamente, num acidente automobilístico, em abril de 2010. A AR Hotéis e Receptivo, nas mãos do filho e da filha Adriana Rodrigues, passou a contar com a experiência do executivo Alessandro Binatti, com muitos anos de vivência no segmento

 

AR Hotéis e Receptivo: frases resumindo valores permanentes

 

Na conclusão da entrevista, Wilson Roberto Chaccur, o Geleia, praticamente resume os valores principais, inerentes e permanentes na empresa, expressos em afirmações comprovadoras daquela manifestação inicial da supervisora de Vendas, a Débora Vertullo, com a qual abrimos este texto:

— A Secretaria de Turismo da Cidade de Porto Seguro trabalha nossa oferta com o conceito de Turismo para Família, não na acepção comum a esse termo: casais com filhos, por exemplo. E, sim, de aventura, culinária cultura, diversão, lazer e tudo o mais acessíveis a qualquer pessoa.

— Solteiros, pais com crianças de colo, meninos, adolescentes, jovens, adultos, maduros, meia idade, Melhor Idade, pessoas com necessidades especiais… Todos, mas todos mesmo, são bem-vindos e serão bem tratados. E sem qualquer distinção de gênero: feminino, masculino, LGBT…

— O foco do Turismo da Cidade de Porto Seguro não está nos chamados Turismo de Eventos, Turismo de Negócios. Mas nada impede de congressos, encontros, feiras, seminários, palestras e workshps serem realizados por aqui. Aliás, acontecem muitos, nos períodos de baixa temporada.

— O Turismo na Cidade de Porto Seguro é dinâmico, muda com o passar do tempo. Já tivemos um boom de argentinos. Recebemos voos charteres com europeus. Agora, está na moda grupos de estudantes secundaristas comemorando formaturas; aliás, muitos deles, vindos da Argentina.

— Hoje, após 40 anos, ouço acusarem Adriano Rodrigues de ter sido beneficiado. E, pergunto: beneficiado por quem? Na época, havia oportunidade para todos com capital, respaldo, nome, para investir. Muitos fizeram isso. Uns fracassaram; outros não. É da vida de empreendedores.

— Nós nos apresentamos no site como a maior empresa de receptivo da América Latina. Sabe por quê? Porque recepcionamos na Cidade de Porto Seguro cerca de 3.000 a 3.500 passageiros por semana, em baixa temporada. Nos períodos de alta, essas quantidades dobram, triplicam…

— Herdeiros, Binatti, nossa equipe, todos temos tido sucesso em materializar duas ideias. Uma, do Alexandre Rodrigues: “Ninguém, sozinho, tem a força de nós juntos.” Outra, minha, e perdão pela total falta de humildade: “Se acertamos pelo máximo, tenha certeza: erramos pelo mínimo!”

 

“Herdeiros, Binatti, nossa equipe, todos temos tido sucesso em materializar duas ideias. Uma, do Alexandre Rodrigues: “Ninguém, sozinho, tem a força de nós juntos.” Outra, minha, e perdão pela total falta de humildade: “Se acertamos pelo máximo, tenha certeza: erramos pelo mínimo!”

 

AR Hotéis e Receptivo: mais belezas da Cidade de Porto Seguro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

O post “AR Hotéis e Receptivo é o Turismo moderno oferecido na bela Cidade de Porto Seguro” foi produzido por João Zuccaratto, jornalista especializado em turismo baseado na Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, em função da sua participação na edição 2019 do Encontro de Agentes de Viagem — Enbrav, realizado de 10 a 17 de agosto de 2019, na Cidade de Porto Seguro, ícone do turismo da Costa do Descobrimento do Brasil, localizada no Sul do Estado da Bahia.

Clique nos trechos em colorido ao longo do texto do post “AR Hotéis e Receptivo é o Turismo moderno oferecido na bela Cidade de Porto Seguro” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

O post “AR Hotéis e Receptivo é o Turismo moderno oferecido na bela Cidade de Porto Seguro” pode apresentar erros. Se eles forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “AR Hotéis e Receptivo é o Turismo moderno oferecido na bela Cidade de Porto Seguro” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar que será substituída.

A repetição de diversas expressões ao longo do conteúdo do post “AR Hotéis e Receptivo é o Turismo moderno oferecido na bela Cidade de Porto Seguro” — como “AR Hotéis e Receptivo” — é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.