Visita é autoexplicativa: painéis e placas esclarecem detalhadamente os cenários. Grande acervo impressiona pela qualidade. Em cinco salões e 24 ambientações, 4.000 anos de história reunidos em 4.000 metros quadrados de área construída. Moda feminina retratando diferentes sociedades.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela: roupas primorosas

 

Mesmo para não-relacionados ao tema, o Museu da Moda da Cidade de Canela, ícone em termos de destino de turismo da Serra Gaúcha, situada a Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, impressiona. E tudo pode ser resumido numa única palavra: qualidade.

Edificação belíssima, átrio esplendoroso, distribuição equilibrada, iluminação adequada, vitrines exuberantes, roupas primorosas, apresentações corretas… Em seus 4.000 metros quadrados de área construída, um resumo de 4.000 anos de história do mundo ocidental.

O circuito exibindo acervo luxuoso de vestimentas femininas traduz com fidelidade os conceitos de cultura, economia e sociedade das épocas retratadas. E se utiliza da moda para revelar identidades individuais e padrões coletivos imperantes naqueles períodos.

As peças foram confeccionadas de acordo com a pesquisa realizada pela empresária e estilista Milka Wolff e pela curadora do Museu, Débora Elman. Já os objetos antigos compondo as decorações são de antiquários visitados e pesquisados ao redor do mundo.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

Museu da Moda da Cidade de Canela — Bela edificação, átrio espaçoso, distribuição equilibrada, iluminação adequada, vitrines exuberantes, roupas primorosas… Em seus 4.000 metros quadrados de área construída, 4.000 anos de história do mundo ocidental

 

Museu da Moda da Cidade de Canela: criação da estilista Milka Wolff

 

A viagem no tempo se dá a partir de ambientes agrupando modelos recriados segundo rigorosa recuperação das tecnologias e técnicas então vigentes nas eras ali segmentadas: reconstrução de tecelagem, reprodução do tingimento, recomposição do aviamento etc.

Vida exposta através de centenas de modelos, distribuídos por cenários de acordo com as próprias épocas. Algo até então só encontrado em livros, e aqui e ali no ambiente da Web, agora pode ser analisado, apreciado, estudado e debatido bem de perto, ao vivo.

Extremamente interessante para graduandos em especialidades ligadas à criação, design, estilo, história, publicidade, tecnologia, sociologia e similares. Também de grande valor para setores da indústria, além das confecções: por exemplo, os processos de produção.

Apesar do termo “moda” ser contemporâneo, e da forma padronizada do vestir feminino nos tempos mais antigos, vê-se a criatividade humana avançando sobre os limites então existentes, agregando detalhes mínimos de cores, padrões e formas de corte e costura.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

Museu da Moda da Cidade de Canela — Interessante para estudiosos de especialidades ligadas à criação, design estilo, história, publicidade, tecnologia, sociologia… E de valor para setores da indústria, além das confecções: por exemplo, processos de produção

 

Museu da Moda da Cidade de Canela: passado, presente, futuro

 

Naquele espaço único e singular, estão evidenciadas informações capazes de interpretar o passado, compreender o presente e projetar o futuro. Sempre é bom lembrar o quanto a maneira de vestir do todo reflete o comportamento de cada um vivendo em sociedade.

O impacto da visita gera um aprendizado de caráter único, condicionado à experiência individual. Os mais racionais incorporarão dados, descrições, detalhes, números… Já os capazes de se emocionar aproveitarão os momentos para viajar por espaços infinitos.

São cinco grandes salões e 24 composições. Estas trazem ambientações montadas o mais fielmente possível à expressão a ser materializada em cada um deles. Cenografia, iluminação e sonoplastia específicas contribuem para ampliar o alcance das imersões.

Como em todo equipamento parte do turismo moderno, o Museu da Moda da Cidade de Canela também tem uma loja oferecendo aos visitantes várias lembranças capazes de marcar a visita. E também um café-bistrô, cujo cardápio reúne delícias as mais diversas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

Museu da Moda da Cidade de Canela — Cinco grandes salões e 24 composições, com ambientes montados o mais fielmente possível à expressão materializada em cada um: cenografia, iluminação e sonoplastia específicas contribuem para ampliar as imersões

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

Museu da Moda da Cidade de Canela — Como todo equipamento do turismo moderno, na saída há uma loja oferecendo aos visitantes várias lembranças e presentes capazes de marcar a visita. E também um café-bistrô, cujo cardápio reúne delícias as mais diversas

 

Museu da Moda da Cidade de Canela: resumo da riqueza lá existente

 

Dispostos em manequins protegidos por paredes de vidro transparente, estão reunidos e organizados em cronologias, da data mais antiga para mais atual. Aqui, são apresentadas com os seus números arredondados, facilitando a leitura e melhorando a compreensão.

Seguem também resumos trazendo informações sobre aplicações, costumes, criações, detalhes, gostos, invenções, materiais, técnicas, tendências, usos e detalhes semelhantes, capazes de caracterizar a evolução do conhecimento humano ao longo dos milênios.

Observação: em alguns momentos, a imagem não corresponde ao tema proposto.

 

Egito Antigo
  • de 5.000 anos antes de Cristo até 300 anos antes de Cristo

 

Uso do Chanti, tecido enrolado várias vezes no corpo, como tanga, preso por cinto. Os faraós destacavam-se pela Calasires, túnica longa. Escravos viviam praticamente nus.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Grécia Antiga
  • de 2.000 anos antes de Cristo até 500 anos antes de Cristo

Quíton, uma túnica linho branco, adornado por listras e debruns coloridos, e Peplo, capa de lã, serviam a homens e mulheres; estas somavam a Clâmide, outro tipo de capa de lã.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Assíria
  • de 1.300 anos antes de Cristo até 200 anos antes de Cristo

Em seu auge, os assírios ocupavam o atual Oriente Médio. Com seu território cruzado por inúmeros rotas comerciais, recebiam influência tanto o Ocidente quanto do Oriente.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Síria Antiga
  • de 1.700 anos antes de Cristo até 300 anos antes de Cristo

 

Situada no mesmo espaço da Síria atual, ora estava dominada por impérios do Leste, ora do Oeste. Principais influências vieram dos gregos antigos e, depois, Império Romano.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Babilônia
  • de 1.300 anos antes de Cristo até 200 anos antes de Cristo

 

Túnicas longas, largas, em tecidos nobres, presas por cintos, identificavam classes altas; justas, com mangas curtas, as classes baixas. Monarcas usavam sobrecapas ou estolas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Pérsia, antigo Irã
  • de 550 anos antes de Cristo até 1.800 anos depois de Cristo

 

Predominavam lã, linho e seda, trazidas da China. Usava-se couro curtido na confecção de túnicas para cobrir a parte superior do corpo e calções folgados para proteger pernas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Império Romano
  • de 200 anos antes de Cristo até 500 anos depois de Cristo

 

Toga simbolizava poder das classes altas. Tecidos marcantes: algodão, lã e linho. Ricos usavam seda. Cores predominantes: amarelo, azul e vermelho, com franjas douradas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Império Bizantino
  • dos anos 300 aos anos 1400

 

Pode ser considerado a continuação do Império Romano após o desaparecimento deste na Europa. A partir da capital Constantinopla, levou seus domínios em direção à Ásia.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Idade Média
  • dos anos 500 aos anos 1500

 

Roupas e sapatos volumosos, escondendo o corpo, especialmente o da mulher — as mais jovens até chegavam a revelar o colo, mas a Igreja sempre desaprovou os decotes.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Renascença
  • século XVII, anos 1600

 

Tecidos aveludados e muitos acabamentos com rendas e sedas. Por cima dos vestidos, corpetes, marcando a silhueta da mulher. Lenços e leques eram acessórios importantes.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Rainhas da França da Dinastia Burboun
  • século XVII, anos 1600, e século XVIII, anos 1700

 

Os Bourbon chegaram ao trono da França em 1589, com Henrique IV. E mantiveram o poder durante 200 anos, expandindo sua influência para a Espanha e partes da Itália.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Iluminismo
  • século XVIII, anos 1700

 

Cintos e fitas acentuando silhueta. Mangas bufantes e curtas, no verão; estreitas e longas, no inverno. Os xales eram importantes. Máquina de costura surge em 1709.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Maria Antonieta
  • rainha da França, final do século XVIII, anos 1700

 

Maria Antonieta, esposa de Luís XVI, ocupou o esplendoroso Palácio de Versalhes até ser levada à guilhotina, é expressão maior do exagerado estilo Rococó aplicado à moda.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Era Napoleônica
  • de 1800 a 1815

 

Um período de mulheres bem chiques, exibindo tecidos importados da Índia, bolsas, luvas e véus de renda, além de flores naturais nos cabelos para deixá-las mais belas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Belle Époque
  • de 1870 a 1920

 

Momento de grande efervescência cultural gera uma moda marcada pelo luxo e beleza das roupas, destacando-se ainda grandes chapéus elaborados, muitas plumas e bordados.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Avant Garde
  • de 1920 a 1950

 

O início do século XX chacoalha a moda mundial. E faz isso pondo fim a barbatanas, corseletes e golas altas. Colares de pérolas e xales de franjas eram itens de charme.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Década de 1960

 

Revolucionária em todo aspecto, trouxe para a moda os movimentos transformadores da sociedade. Vestidos mais simples e curtos levaram à criação da saia midi e da minissaia.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Década de 1970

 

Mantendo o espírito de renovação da década de 1960, é o auge dos trajes amplos, confortáveis. Reinado das pantalonas, bocas de sino, estampas florais e saias longas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Década de 1980

 

Os 10 anos podem ser resumidos num único termo: extravagância. Ombreiras enormes e muito brilho como referências para peças buscando a valorização da silhueta feminina.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Década de 1990

 

Síntese das décadas precedentes, uniu todos os conceitos de liberdade antes explorados em criações primando pelo básico, clean, limpo, minimalista, simples — e a qualidade.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Tributo a Lady Di

 

Ícone da moda do final do século XX, a princesa Lady Di tem espaço especial, criado em sua homenagem, trazendo réplicas de nove de seus icônicos e famosos vestidos.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Divas do Cinema

 

Modelos usados por celebridades do cinema, em diversos filmes: Audrey Hepburn, Carmem Miranda, Elizabeth Taylor, Grace Kelly, Julia Roberts e Marilyn Monroe.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Carrossel das Puppens

 

Divertida coleção de bonecas de pano vestidas com modelos de estilistas de renome mundial. Busca chamar atenção para os artistas por trás das criações consagradas.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Retrospectiva Milka

 

Resumo do trabalho da estilista Milka Wolff, apaixonada por moda desde os sete anos de idade e criadora desta atração cinco estrelas, o Museu da Moda da Cidade de Canela.

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela: mais algumas imagens

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 

Museu da Moda da Cidade de Canela agrada mesmo aos não-interessados na atividade

 


 

Na pesquisa para a produção desta matéria, dois sites trouxeram informações fundamentais e bastante pertinentes:  Armarinhos Web e Fashion Bubbles. A ambos, deixo meus agradecimentos públicos e os parabéns pelo excelente trabalho.

Material produzido a partir da participação na edição do ano passado da Feira Internacional de Turismo de Gramado — Festuris 2017, desenvolvida em duas etapas: dias 4 e 5 de novembro na Cidade de Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul, com apoio da Rede Ficare de Hotéis e da Noratur Trade Turismo e Negócios; e, de 6 a 12 de novembro, na Cidade de Gramado, situada na Serra Gaúcha, ao Norte do Estado do Rio Grande do Sul, com apoio da Brocker Turismoe Pousada Vovó Carolina.

Clique nos trechos em colorido ao longo do texto para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

A repetição da expressão “Museu da Moda da Cidade de Canela”, e outras mais, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.

O post “Estação Ferroviária da Cidade de Canela será revitalizada como atrativo de turistas” não é trabalho científico, podendo apresentar erros. Se eles forem apontados, reeditarei o material com as correções. Todas as fotos têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar que será substituída.

Matéria republicada no seguinte veículo:

• Jornal Passaporte, sediado na Cidade de Belém, capital do Estado do Pará.