Roteiro de agroturismo Tour Linha Bella reúne paisagens exuberantes aos costumes e hábitos herdados dos imigrantes italianos pelos seus descendentes. Recantos naturais, com flora e fauna da região. Vivência do dia a dia das famílias e autêntico almoço do período da colonização.

 

O Município de Gramado, localizado na região das serras do Estado do Rio Grande do Sul, tem uma oferta quase inesgotável de opções de cultura, gastronomia, história, lazer e natureza para seus visitantes. E tudo isso pode ser desfrutado praticamente andando a pé pelas belas avenidas e ruas da cidade. Basta pegar um mapa, montar o próprio roteiro de acordo com a melhor logística possível e seguir em frente, sem estresse, sem pressa.

Denominações das vias, identificações dos bairros, nomes dos atrativos, trajetórias de cada um deles remetem à colonização local. Bistrôs, cafés, lojas oferecendo guloseimas, fábricas de chocolates e restaurantes sucedem-se pelos caminhos, em qualquer direção. Uma coleção de museus charmosos, pequenos, recupera a memória dos antepassados. O número de parques temáticos cresce dia a dia. E hortênsias e verde dominam as vistas.

Agora, se o turista quiser reunir tudo isso numa só aventura, também consegue. Basta escolher um dos roteiros de agroturismo disponíveis, todos partindo das proximidades da Rodoviária. Eles percorrem caminhos batizados como “linhas”, identificações que remetem à forma de distribuição das terras aos imigrantes europeus, no final do século XIX. Um site especializado, o Roteiro de Agroturismo de Gramado, mostra todos eles.

Em resumo, são os seguintes, aqui dispostos em ordem alfabética:

 

  • Roteiro Caminhos Linha Ávila

Tendo o empreendedorismo como base, permite resgatar a história de vida de mulheres e mulheres e homens que, com muita garra e trabalho, colonizaram as terras onde hoje está situado o Município de Gramado. Alemães, franceses, italianos e portugueses — além de gaúchos, é claro! —, reunindo diferentes costumes, culturas, culinárias e religiosidade, transformaram serras inóspitas serrana em referência no turismo mundial.

  • Roteiro Criativo Várzea Serra Grande

Um passeio pela história de Gramado, englobando arte, empreendedorismo, mesa farta e religiosidade de uma comunidade cultivando, valorizando e revivendo suas origens. Talvez o menos rural entre todos, começando na Praça das Etnias, segue para o Museu do Trem, Ateliê Potira Moura, Igreja São Luís e Ateliê Gilmar Sthal, concluindo na Casa da Família Faís, onde é oferecido um típico almoço dos imigrantes italianos.

  • Roteiro O Quatrilho

Com um cenário encantador, em meio a vales e riachos, pelas localidades de Campestre do Tigre e Tapera, onde viveram os protagonistas do livro e filme O Quatrilho, o turista é convidado a conhecer a história das famílias colonizadoras daquelas terras. O cultivo de frutas, produção artesanal de vinho, moinho colonial, cenário encantador apreciado a partir de um mirante, natureza e um mesa farta sucedem-se em momentos inesquecíveis.

  • Roteiro Raízes Coloniais

Cruzando, primeiro, a Linha Bonita e, depois, a Linha Nova — região onde nasceu a cidade de Gramado —, oferecendo cenários bucólicos e paisagens românticas, reúne a essência da cultura formadora da população local. Seus maiores exemplos estão no rico acervo de residências centenárias, heranças de manifestações folclóricas e uma enorme variedade de pratos das culinárias típicas, tanto aquelas de alemães quanto de italianos.

  • Roteiro Tour Linha Bella

Além de exuberantes paisagens descortinadas ao longo do trajeto, o visitante conhece sobre os costumes e hábitos herdados dos imigrantes italianos pelos seus descendentes, atuais habitantes da Zona Rural do Município de Gramado. Permite admirar e desfrutar variados recantos naturais, observar espécies da fauna e flora da região, vivenciar o dia a dia das famílias e ao final, degustar um autêntico almoço do período da colonização.

  • Roteiro Tour no Vale

Ar puro, casas antigas, estrada de chão, natureza exuberante, visita a famílias alemãs e italianas proporcionando momentos inesquecíveis através do Vale do Quilombo, Linha 28 e interior do Município de Gramado. A bordo de simpático ônibus restaurado, cruza-se por morros cobertos de vegetação, rios de águas límpidas, cascatas de beleza ímpar, campos de araucárias, riquezas de parreirais, ambientes típicos de colônia e muito mais.

 

Destes seis, neste momento, vou detalhar apenas o Roteiro Tour Linha Bella, pois tive oportunidade de desfrutá-lo durante minha participação na edição 2015 do Festival de Turismo de Gramado, nos últimos dias 5 a 7 de novembro. Para os demais, conforme for conhecendo, faço cópia da abertura deste post, retiro o publicado e incluo o novo. Todos dando ênfase para as imagens e texto explicativo como legenda, abaixo delas.

A jardineira que percorre o Roteiro Tour da Linha Bella parte no início da manhã, da Praça das Etnias, ao lado da Rodoviária de Gramado. Daí, de cruza o Centro da cidade de Gramado e entra na Zona Rural do Município. Daí em diante, até o meio da tarde, serão cinco paradas: Vinícola Masotti, Velho Casarão, Cantina Linha Bella — a mais longa, com almoço típico italiano e cantoria —, Moinho Cavichion e Ervateria Marcon.

 

Vinícola Masotti

 

A primeira parada é na Vinícola Masotti, na qual os turistas são brindados com palestra sobre curiosidades e particularidades da produção de sucos e vinhos. Em mais ou menos 30 minutos, todas as fases deste trabalho — primeiro, plantio da uva, acompanhamento da maturação, colheita e esmagamento; depois, depuração, fermentação, envasamento e distribuição — são explicadas detalhadamente. Ao final, segue degustação orientada.

A primeira parada é na Vinícola Masotti, na qual os turistas são brindados com palestra sobre curiosidades e particularidades da produção de sucos e vinhos. Em mais ou menos 30 minutos, todas as fases deste trabalho — primeiro, plantio da uva, acompanhamento da maturação, colheita e esmagamento; depois, depuração, fermentação, envasamento e distribuição — são explicadas detalhadamente. Ao final, segue degustação orientada.

 

Velho Casarão

 

Deixando a Vinícola Masotti, e retornando à Linha Bella, a segunda parada é no Velho Casarão, pertencentes aos descendentes de Vicenzo Marcon. Filha e mãe se revezam para detalhar aspectos da história de vida daquele pioneiro, narrando a trajetória de uma família, hoje, em sua quinta geração. Vestígios do passado podem ser observados tanto na arquitetura da velha construção quanto no mobiliário e ferramentas usadas na época.

Deixando a Vinícola Masotti, e retornando à Linha Bella, a segunda parada é no Velho Casarão, pertencentes aos descendentes de Vicenzo Marcon. Filha e mãe se revezam para detalhar aspectos da história de vida daquele pioneiro, narrando a trajetória de uma família, hoje, em sua quinta geração. Vestígios do passado podem ser observados tanto na arquitetura da velha construção quanto no mobiliário e ferramentas usadas na época.

 

Cantina Linha Bella

 

A terceira parada do passeio é de dar água na boca: almoço na Cantina Linha Bella, local impossível para se resistir ao pecado da gula. Todo o sabor da comida italiana, mantida aquecida sobre fogão a lenha, remetendo a um passado de mais de um século, quando todos reuniam-se aos domingos para degustar as delícias na casa da nona. Ao mesmo tempo em que pratos vão sendo esvaziados, os ouvidos se enchem de cantoria.

A terceira parada do passeio é de dar água na boca: almoço na Cantina Linha Bella, local impossível para se resistir ao pecado da gula. Todo o sabor da comida italiana, mantida aquecida sobre fogão a lenha, remetendo a um passado de mais de um século, quando todos reuniam-se aos domingos para degustar as delícias na casa da nona. Ao mesmo tempo em que pratos vão sendo esvaziados, os ouvidos se enchem de cantoria.

 

Moinho Cavichion

 

Se a turma conseguir deixar a Cantina Linha Bella — isso não é fácil! —, o próximo destino é o Moinho Cavichion. Num auditório improvisado no depósito da construção, são mais 30 minutos de narrativa sobre a chegada, instalação e formação das famílias dos imigrantes italianos e alemães, numa performance alegre e descontraída. Por fim, informações sobre o equipamento e demonstração da produção de farinha de milho.

Se a turma conseguir deixar a Cantina Linha Bella — isso não é fácil! —, o próximo destino é o Moinho Cavichion. Num auditório improvisado no depósito da construção, são mais 30 minutos de narrativa sobre a chegada, instalação e formação das famílias dos imigrantes italianos e alemães, numa performance alegre e descontraída. Por fim, informações sobre o equipamento e demonstração da produção de farinha de milho.

 

Ervateria Marcon

 

O último ponto a ser visitado é a Ervateira Marcon. Lá, é apresentado o processo de produção da erva-mate, ingrediente fundamental para o mais antigo tradição gaúcha, beber chimarrão. Um hábito, segundo pesquisas, bom para coração e sistema nervoso, pôr fim a estados depressivos e conferir aos músculos maior capacidade de resistência à fadiga. Visto como se faz a colheita, secagem e trituramento, e hora de provar a bebida.

O último ponto a ser visitado é a Ervateira Marcon. Lá, é apresentado o processo de produção da erva-mate, ingrediente fundamental para o mais antigo tradição gaúcha, beber chimarrão. Um hábito, segundo pesquisas, bom para coração e sistema nervoso, pôr fim a estados depressivos e conferir aos músculos maior capacidade de resistência à fadiga. Visto como se faz a colheita, secagem e trituramento, e hora de provar a bebida.

 


 

Matéria produzida a partir da participação na edição 2015 do Festival de Turismo de Gramado, dias 5 a 7 de novembro, no Centro de Eventos Sierra Park, no Município de Gramado.